Banda: Lamb Of God
Álbum: Resolution
Data de Lançamento: 24 de Janeiro de 2012
Editora: Roadrunner Records
Género: Groove Metal
País: E.U.A.

Site Oficial | Facebook | last.fm

Membros:

Randy Blythe – Voz
Willie Adler – Guitarra
Mark Morton – Guitarra
John Campbell – Baixo
Chris Adler – Bateria


Alinhamento:
01. Straight For The Sun
02. Desolation
03. Ghost Walking
04. Guilty
05. The Undertow
06. The Number Six
07. Barbarosa
08. Invictus
09. Cheated
10. Insurrection
11. Terminally Unique
12. To The End
13. Visitation
14. King Me

É impossível negar que os LAMB OF GOD têm sofrido uma onda de enorme sucesso nos últimos anos. Tanto “Sacrament” (2006), como “Wrath” (2009), tornaram a banda um dos maiores nomes do metal moderno, que percorreu o mundo nos últimos anos para apresentar os ditos álbuns. O quinteto de Richmond, do estado de Virginia (EUA), traz-nos agora “Resolution” como o primeiro álbum da banda nesta década que agora ‘começa’.

‘Straight For The Sun’ funciona como uma introdução para o que se segue, por se apresentar mais lenta e menos extrema, com um riff apontado a BLACK SABBATH. Assim que explode a segunda faixa, surgem os LAMB OF GOD: a banda agressiva e intensa que é, sempre marcada pelos riffs técnico-melódicos de Mark Morton e Willie Adler. E em relação ao último “Wrath”, surgem novas camadas de complexidade e melhor capacidade de composição. Há algumas faixas típicas do sucesso, como ‘Ghost Walking’ ou ‘The Undertow’, mas também há uma veia coordenadora da inovação – ‘The Number Six’ ou a instrumental ‘Barbarosa’ mostram-nos uns LAMB OF GOD seguros das suas ideias. Chris Adler mantém o seu excelente trabalho na percussão, algo que habituou os fãs da banda. Randy Blythe também surge mais inpirado do que no lançamento anterior, parecendo testar os limites da garganta. E por mais estranho que pareça, guardaram-nos a surpresa para a última faixa. Um tema orquestrado para um final épico, bem ao estilo do metal europeu.

Estes novos elementos garantem ao som familiar de LAMB OF GOD uma nova vitalidade e potência, mesmo que possa aborrecer o ouvinte com os seus mais de 55 minutos de groove. Quem não é fã da banda, não vai ser convencido… mas é garantido que os fãs mais ferverosos têm aqui uma das suas ‘resoluções’ de 2012.

Deixo o resto à vossa guarda,
Nuno Bernardo

 Classificação: 81/100

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.