O Amplifest regressa já nos dias 4 e 5 de Outubro às duas salas do Hard Club, no Porto, para a sua quarta edição. Depois dos excelentes fins-de-semana que testemunhámos em 2012 e 2013, a Amplificasom parte agora para uma experiência mais ambiciosa que conta com Swans e Cult Of Luna no topo do cartaz.

O Amplifest já nos provou que todos os motivos são motivos, da primeira à última banda, passando pelos Amplitalks, sessões de cinema e listening parties. No entanto, existem dez motivos, exclusivos, que gostaríamos de destacar para marcar presença na Invicta no fim-de-semana que aí vem – não te esqueças de, para além de consultar estes dez motivos, conferir todo o cartaz do Amplifest e outras informações, aqui. E atenção às Post-Amplifest Sessions. Em caso de alguma dúvida adicional, existe um artigo FAQ bastante funcional que queremos partilhar com vocês, aqui.

 

#01 A experiência completa do Hard Club 

E que tal desfrutar do pacote completo daquilo que o Hard Club é? O Amplifest promove espectáculos tanto na Sala 1 como na Sala 2, utilizando-se até o mainfloor para outras atracções. Podes saltar de sala em sala, conhecer todos os cantos da casa e ainda permitir uns euros saltarem da carteira com todo o merchandise que estará disponível fora das salas. E desta vez, ao contrário das anteriores edições, tudo acontecerá no Hard Club, o coração do Amplifest. Só não há visitas guiadas.

DSC_0016
 

#02 Swans 

A revitalização dos Swans de Michael Gira já nos trouxe bons discos. Depois dos grandes My Father Will Guide Me Up A Rope To The Sky The Seer, 2014 é ano de edição de To Be Kind e a qualidade mantém-se intacta. Sempre candidatos a disco do ano, imagine-se o que é vê-los transformados numa experiência ao vivo sem igual, onde os Swans saberão traduzir em alto e bom som aquilo que deve ser uma viagem sónica pela música de uma das bandas mais influentes de sempre.


 

#03 Cult Of Luna

Quem não conseguiu ver Cult Of Luna com os seus dois poderosos concertos – que ainda estamos a digerir de tão bons que foram – dados em Portugal em Janeiro de 2013, que se apresse para ver este. Já nos era sabido que se ausentariam dos palcos por muito tempo, mas a Amplificasom brindou-nos com uma última actuação da banda antes que tal aconteça. E se já se sente o peso que a intensidade das composições de Cult Of Luna têm nos álbuns, ao vivo as coisas ganham proporções (ainda mais) míticas. A não perder.


 

#04 YOB 

Depois de Atma, este trio editou este ano Clearing The Path To Ascend, que deverá ser visitado na mais de uma hora de concerto que darão na Sala 1 do Hard Club no dia 4 de Outubro. No Amplifest não há meias-medidas, nem os YOB as têm, portanto este será logo o primeiro concerto de toda a experiência, garantido-se que se deve comparecer o mais cedo possível para não perder um dos concertos mais pesados desta edição.


 

#05 Pallbearer

A percorrer a Europa com os YOB estão os Pallbearer e já são donos de uma apreciação que chega às maiores publicações do mundo graças ao novo Foundations Of Burden, que também analisámos aqui. O nosso autor rematou que «há uma suavidade inerente à maneira como encaram o doom metal, algo que tem tanto de método como de misterioso» e por aqui não há dúvidas que tais credenciais se estenderão ao palco da Sala 2 do Hard Club.


 

#06 Wovenhand 

David Eugene Edwards tem em Wovenhand uma forma de expressar a sua entrega à música. Com este nome já se desafiou aos extremos do neofolk e do pós-rock, atravessando os campos de um country menos comum, elaborando a cada disco um novo método de prender a atenção que só o próprio sabe fazer. Em palco não é excepção. Depois de vários concertos em Portugal, os últimos dos quais em 2011, Wovenhand voltam cá com concerto exclusivo nesta edição do Amplifest e trazem-nos um novo disco – Refractory Obdurate, com o selo da Deathwish Inc.


 

#07 Pharmakon 

Se os YOB andam bem acompanhados pela Europa com os Pallbearer, então os Swans também não andam nada mal – na verdade andam bem seguidos por Margaret Chardiet, dona da parede de som evocada em Pharmakon. No ano passado ficámos com pena de não a testemunhar fazer em palco aquilo que tanto gostamos em Abandon devido a problemas de saúde da própria, mas agora com Bestial Burden poderemos sentir o estremecer das paredes da Sala 2 do Hard Club. Será uma das experiências mais intensas do fim-de-semana.


 

#09 Wolvserpent 

A digressão europeia da dupla Wolvserpent, que no ano passado nos deixou o assustador Perigaea Antahkarana, passa em Portugal a 5 de Outubro, plantando-se a natureza de ritual ao oculto na Sala 2 do Hard Club. Britanny McConnell e Blake Green vão-nos atingir com facas no escuro, onde sentiremos «o espaço negro em que os Bohren & Der Club Of Gore se inserem a ser transformado numa profunda caverna receptiva aos Wolves In The Throne Room». As nossas palavras fazem-vos sentido? Ouvir e ver para crer.

https://www.youtube.com/watch?v=3Kdru5lpPL0
 

#10 Ben Frost 

Sem rodeios, A U R O R A é facilmente um dos discos mais interessantes deste 2014 e foi ao Australiano Ben Frost, sediado na fria e bela Islândia, que foi concedida a tarefa de actuar depois de Swans. Nós por aqui não temos dúvidas que as suas incursões experimentais, bem fundamentadas no disco acima mencionado, darão bom seguimento. Aliás, a apreciação de Ben Frost para com Michael Gira está bem vincada até nos nomes das suas faixas – “We Love You Michael Gira” já figurava em Theory Of Machines, de 2006. Será uma oportunidade única para o ver actuar depois do seu ídolo.


 

Estão lançados os nossos dez de muitos motivos para comparecer no Amplifest 2014. Não mencionámos outros bons cartões-de-visita como as listening parties exclusivas dos novos discos de Mono, a experiência sonora de Soused, de Scott Walker com Sunn O))) e ainda os interessantes Amplitalks que decorrerão entre-salas, mas são igualmente importantes. Fica a curiosidade também para a banda surpresa que actuará no primeiro dia, assim como as garantias de bons concertos de Urfaust, Marissa Nadler, Peter Brötzmann & Steve Noble, Conan, entre muitos outros argumentos que a Amplificasom guardou para o Hard Club num dos melhores fins-de-semana do ano.

Autor: Nuno Bernardo

Leave a Reply

Your email address will not be published.