conditionhumanOs Queensrÿche são daquelas bandas marcantes de metal progressivo que, ao longo dos anos, foi esmorecendo em termos qualitativos, principalmente na década de 90. A guerra judicial e guerra de palavras, que levou à saída de Geoff Tate, um dos membros fundadores dos Queensrÿche, marcou o grupo e a indústria musical de uma forma muito proeminente.

Com a saída de Geoff Tate, o grupo encontrou uma nova lufada de ar fresco conseguindo apresentar material de muito boa qualidade e bastante digno do seu nome. Já no álbum anterior o grupo parecia querer provar quem, de facto, modificou a direcção da banda a partir dos anos 90. A banda parece querer continuar com um tema comum, no álbum anterior preparou três a quatro faixas conceptuais, chegando a apresentar um vídeo conceptual.

Em Condition Hüman, o caminho é o mesmo e a linha musical é igual. Não se verificam quaisquer mudanças de estilo e não existem espaços para ‘invenções’ criativas. A banda apresenta algum do seu melhor material, dos últimos anos. Algumas das faixas que gostaria de destacar são: “Arrow of Time”, “Guardian”, “Eye9”, “Condition Hüman” e “Hellfire”. Este disco supera, na minha opinião, o trabalho anterior, principalmente no que respeita a trabalho de faixas e performance de grupo. O álbum consegue mostrar uma grande consistência criativa, denotando uma demonstração de força com a composição de faixas que poderão estar entre algumas das suas melhores.

Ao longo dos mais de 30 anos de carreira, os Queensrÿche foram-se apresentando como uma principais referências do metal progressivo com alguns dos lançamentos mais cruciais da indústria. Principalmente, a partir da década de 90 tal se verificou, de forma muito proeminente. Com a chegada de novo frontman, em 2013, e de uma nova atitude, os Queensrÿche estão finalmente nos trincos e seguem um caminho seguro. Apesar de não ser um lançamento formidável, Condition Hüman é bastante credível e apresenta uma banda, que estava a precisar de novos retoques a ser bem-sucedida na mudança provocada.

Autor: João Braga

Os Queensrÿche são daquelas bandas marcantes de metal progressivo que, ao longo dos anos, foi esmorecendo em termos qualitativos, principalmente na década de 90. A guerra judicial e guerra de palavras, que levou à saída de Geoff Tate, um dos membros fundadores dos Queensrÿche, marcou o grupo e a indústria musical de uma forma muito proeminente. Com a saída de Geoff Tate, o grupo encontrou uma nova lufada de ar fresco conseguindo apresentar material de muito boa qualidade e bastante digno do seu nome. Já no álbum anterior o grupo parecia querer provar quem, de facto, modificou a direcção da…
Apesar de não ser um lançamento formidável, Condition Hüman é bastante credível e apresenta uma banda, que estava a precisar de novos retoques a ser bem-sucedida na mudança provocada.

Álbum. Century Media. 02/10/15

Classificação/Rating

8.4

Apesar de não ser um lançamento formidável, Condition Hüman é bastante credível e apresenta uma banda, que estava a precisar de novos retoques a ser bem-sucedida na mudança provocada.

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.