vandenplas2013cd_638Apesar de lançado há alguns meses, a RS não queria fechar o ano sem analisar um dos grandes discos de 2014. Vanden Plas é um dos grupos com maior estabilidade no mundo da música mantendo a mesma formação há quase 30 anos. O grupo alemão de metal progressivo regressou este ano, 2014, para lançar um dos mais introspectivos e criativos trabalhos conceptuais da sua discografia, baseado na obra literária, “Die Chronik der Unsterblichen” (trad: A Crónica dos Imortais), de Wolfgang Hohlbein.

O conceito passa pela escolha do bem e o mal, do Céu e o Inferno, do Paraíso e o Reino das Trevas. Dividido por um conjunto de visões do Céu e o Inferno, o decisor tem que escolher qual delas quer. Qual das visões seguir? Essa é a grande questão desta verdadeira obra musical com um dos conceitos e composições mais teatrais da discografia dos Vanden Plas.

Por muitos fãs e críticos Chronicles of the Immortals: Netherworld (Path 1) é uma ópera rock grandiosa, fugindo ao tradicional metal progressivo. Apesar de ainda conter as características típicas de um disco de metal progressivo, o grupo toma um passo numa direcção diferente para algo mais teatral e fantasioso. É um dos grandes álbuns conceptuais dos últimos anos, e para muitos dos ouvintes mais acérrimos da banda consegue ultrapassar o extraordinário, genial e ‘estranhamente’ viciante The Seraphic Clockwork, lançado em 2010.

O facto de a formação se manter há tantos anos ajuda a que os seus discos sejam cada vez coesos e criativos. Principalmente, Andy Kuntz, frontman, que é a alma de todos os discos dos Vanden Plas, tem neste álbum uma performance senão perfeita, então muito próxima do perfeito (pelo menos nota 19,5). Para muitos fãs este disco é muito ambicioso, pois tenta algo diferente, na minha opinião este era o caminho a tomar para solidificar a posição dos Vanden Plas como uma das cinco melhores bandas de metal progressivo dos últimos 30 anos.

Quanto mais se ouve o disco mais preso se fica à história e complexidade global. Esta é ainda a primeira parte de uma história arrebatadora, complexa e viciante, que promete terminar em 2015 e dar aos críticos e fãs do grupo razões para muitos elogios.

Autor: João Braga

Apesar de lançado há alguns meses, a RS não queria fechar o ano sem analisar um dos grandes discos de 2014. Vanden Plas é um dos grupos com maior estabilidade no mundo da música mantendo a mesma formação há quase 30 anos. O grupo alemão de metal progressivo regressou este ano, 2014, para lançar um dos mais introspectivos e criativos trabalhos conceptuais da sua discografia, baseado na obra literária, "Die Chronik der Unsterblichen" (trad: A Crónica dos Imortais), de Wolfgang Hohlbein. O conceito passa pela escolha do bem e o mal, do Céu e o Inferno, do Paraíso e o…
Um dos mais espectaculares lançamentos do ano 2014! Esta é apenas a primeira parte de uma ópera rock cativante, complexa e que glorifica Vanden Plas como uma das grandes bandas mundiais.

Álbum. Frontiers Records. 21/02/2014

Classificação

87%

Um dos mais espectaculares lançamentos do ano 2014! Esta é apenas a primeira parte de uma ópera rock cativante, complexa e que glorifica Vanden Plas como uma das grandes bandas mundiais.

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.