Banda: Hypnotheticall
Álbum: Dead World
Data de lançamento: 13 de Novembro de 2009
Editora: Insanity Records
Género: Progressive Metal
País: Itália

Membros
Marco Ciscato – Voz
Mirko Marchesini – Guitarras
Giuseppe Zaupa – Guitarras
Davide Pretto – Teclado e sintetizadores
Luca Capalbo – Baixo
Francesco Tresca – Bateria e percussão

Alinhamento

  1. Dead World
  2. The Eternal Nothingness Of Sin
  3. Fear Of A Suffocated Wrath
  4. No Room To Imagination
  5. Heaven Close At Hand
  6. Hi-Tech Loneliness
  7. Lost Children
  8. Bloody Afternoon

Review

Foram precisos 10 anos de carreira, com um EP e duas demos pelo meio, para os Hypnotheticall lançarem finalmente o seu álbum de estreia. Nascidos na zona de Vicenza em Itália em 1999, a banda toca metal progressivo com algumas influências de Thrash, bem trabalhado e complexo. Quando este CD me chegou às mãos, não fazia a mínima ideia do que esperar, mas este acabou por se revelar uma agradável surpresa, mesmo estando enquadrado numa categoria musical que não é da minha preferência.

Dead World é um disco bastante original e refrescante de ouvir. Tem passagens mais pesadas e agressivas, como o início de The Eternal Nothingness Of Sin ou o meio de Hi-Tech Loneliness, outras mais suaves e melódicas, outras ainda, e em maior quantidade, mais progressivas. No seu conjunto, o que sobressai é mesmo a perfeita fusão entre estes diferentes registos. Apesar de Marco Ciscato denotar um inglês com sotaque marcadamente italiano, a sua voz é muito boa e tem grande alcance, desde gritos quase guturais a passagens de pura melodia e outras mais típicas de Progressive. Destaque também para a qualidade instrumental da banda, com toda a gente a ter um contributo bastante positivo para o trabalho final, com foco especial para as magníficas guitarras acústicas que por vezes se fazem ouvir.

Não foi amor à primeira vista. Quando ouvi o álbum pela primeira vez, ficou-me pouco mais que as faixas 2 e 3 na cabeça. Mas como todos os bons álbuns progressivos, este cresceu e foi entrando, culminando neste momento, em que não consigo destacar nenhuma faixa pela negativa. Todas elas são diferentes e únicas. Lost Children, por exemplo, tem pelo meio uma parte algo oriental. Heaven Close At Hand é mais groovy/funky e No Room To Imagination será aquela que mais agradará a fãs de Progressive Metal na onda de Symphony X. A minha favorita, no entanto, é mesmo Fear Of A Suffocated Wrath, com o melhor refrão de Dead World e no geral uma melodia muito bem conseguida e com bastante alma.

No fim de contas, este álbum de estreia dos Hypnotheticall é uma caixinha de surpresas para nos deliciar aos poucos. Tendo em conta que a banda é praticamente desconhecida, mesmo em Itália, achei por bem escrever sobre este CD e divulgá-lo por cá. Posso garantir que este material é de alta qualidade e que fãs deste género não se vão arrepender ao ouvir Dead World. Pesquisem, vão ao Youtube e metam lá o nome da banda, arrisquem e comprem o álbum, quem sabe não estará aqui mais uma banda para juntarem aos vossos favoritos.

Saudações metaleiras,
David Dark Forever Matos

Classificação
Vocal: 8,25/10
Instrumental: 8,75/10
Escrita: 8,5/10
Originalidade: 8,5/10
Produção: 8/10
Impressão pessoal: 8,25/10
TOTAL: 83,8%

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.