Banda: Overkill
Álbum: Ironbound
Data de lançamento: 29 de Janeiro de 2010
Editora: Nuclear Blast Records
Género: Thrash Metal
País: Estados Unidos da América

Membros

Bobby “Blitz” Ellsworth – Voz
Dave Linsk – Guitarra solo, vocal de apoio
Derek ”The Skull” Tailer – Guitarra rítmica, vocal de apoio
Carlos “D.D.” Verni – Baixo, vocal de apoio
Ron Lipnicki – Bateria

Alinhamento

  • The Green And Black
  • Ironbound
  • Bring Me The Night
  • The Goal Is Your Soul
  • Give A Little
  • Endless War
  • The Head And Heart
  • In Vain
  • Killing For A Living
  • The SRC

Nascidos no início da década de 80 na cidade de New Jersey, os americanos Overkill foram das bandas fundadoras da sonoridade conhecida por Thrash Metal e tornaram-se uma lenda dentro do mundo do metal. Desde a sua estreia em 1985 com Feel The Fire, os Overkill têm vindo a lançar ao longo dos anos álbuns cheios de agressividade, poder e técnica, justificando bem a sua fama e deliciando os fãs. Apenas com dois dos membros fundadores ainda no grupo (vocalista e baixista), os Overkill lançam agora em 2010 Ironbound, o sucessor de Immortalis (2007).

Apesar da sua carreira ser marcada pela regularidade sonora e de terem habituado os fãs a grandes trabalhos, os dois últimos esforços da banda não foram tão bem recebidos como os restantes e temia-se um decaimento da qualidade do conjunto. A resposta dos Overkill foi explosiva e asseguro-vos que este novo álbum é uma autêntica bomba de Thrash para começar bem o ano. Ninguém diria que estamos perante uma banda que celebra este ano 30 anos de existência, dada a frescura que transborda destes dez novos temas.

Todo o álbum é acompanhado por uma sonoridade Thrash pura, com melodias que nos ficam a cantar aos ouvidos mesmo quando não estamos a ouvir o álbum. O ritmo marcante é bastante elevado, culminante no tema In Vain (certamente um dos mais rápidos de sempre da banda), uma rapidez de fazer doer o pescoço para quem não resistir ao headbanging. Apesar disso, o álbum é bastante dinâmico e o ritmo vai oscilando frequentemente, adequando-se a todos os gostos. De referir é também a presença não abusiva mas também regular de magníficos solos, mas um dos pormenores que mais me deliciou neste trabalho foram os riffs de entrada e dos refrões das músicas, absolutamente originais e cativantes até para os ouvidos menos ligados ao Thrash Metal.

Todas as músicas são únicas e não consigo destacar nenhuma como sendo a mais bem conseguida. Já destaquei a In Vain como sendo a mais rápida e faço agora outros destaques. Em primeiro lugar, o tema de abertura The Green And Black. Se já é pouco usual termos músicas longas em Thrash hoje em dia, menos usual é ainda termos a mais longa de um álbum a abrir. No entanto, este oito minutos iniciais dão-nos uma ideia geral do resto do álbum e a música é tudo menos repetitiva, marcando uma diferença notória de qualidade de composição relativamente aos trabalhos anteriores dos Overkill.

Em segundo lugar destaco o tema homónimo do álbum, Ironbound, pela sua passagem calma de minuto e meio, com um solo curto mas intenso, que é pouco depois seguido por um dos melhores solos de todo o álbum, já com um som de fundo mais pesado. Destaco também aquele que será talvez o tema menos bem recebido pelos fãs, Give A Little, cujo refrão é surpreendentemente inesperado e até um pouco comercial, diria. Por último, dou atenção à abertura original da The Head And Heart, progressiva e com a utilização de um gutural mais profundo no início e no final da música.

Numa visão pessoal, confesso que o meu tema favorita do álbum é o Killing For A Living, por nenhum motivo em especial. Em suma, consciente de que estamos apenas em Janeiro, é seguro afirmar que estamos perante um dos melhores álbuns de Thrash Metal do ano de 2010 e que este Ironbound é de audição obrigatória para qualquer fã do género de bom metal em geral. Overkill, uma lenda viva que parece ter ainda muito para dar.

Saudações metaleiras,
David Dark Forever Matos
Classificação

Performance: 9,5
Musicalidade: 9
Originalidade: 9
Produção: 9,5
Atmosfera: 9
Capa: 10
Impressão geral: 9,5
TOTAL: 93,50%

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.