É um dos bons anos da fastidiosa década de 90! Apresento aqui dois discos que já marcaram presença no ‘Fundamentais’. Existem mais álbuns que mereceriam, aqui, destaque mas alguns ficarão guardados para o regresso do Fundamentais do Progressivo.

Estes são os álbuns que fazem, em 2014, 20 anos de idade e que fazemos questão de destacar.

Dream Theater - Awake

Já foi mencionado num dos anteriores ‘Fundamentais do Progressivo‘, juntamente com Empire. É um dos grandes discos dos ícones do metal progressivo, conseguindo grandes resultados comerciais e é, ainda hoje, um dos lançamentos mais apreciados pelos fãs e crítica profissional.


Machine Head - Burn My Eyes

É para muitos fãs do grupo americano de thrash/groove metal como um dos principais destaques da década de 90. É neste disco, Burn My Eyes, que a banda liderada Robb Flynn se estreia e começa a construir uma legião de fãs que foi alargada, principalmente, com o lançamento, em 2007, de The Blackening que catapultou o grupo para uma realidade bem diferente a que estava habituado. No entanto foi este disco que, lançado em 1994, forneceu as bases para uma carreira mais sólida com sucessos como “Davidian”, “Old”, “A Thousand Lies” e “Block”, que ainda hoje são repetidos nos muitos e bons concertos em que o grupo toca pelo mundo inteiro.


Pantera - Far Beyond Driven

Pantera nunca foram consideradas das bandas mais simpáticas da indústria musical, apesar de um início mais ‘glam’, o grupo rapidamente mudou os seus hábitos para uma das mais duras e brutais bandas de thrash/groove metal. A substituição de Terry Glaze por Phil Anselmo trouxe uma vida completamente diferente e mudou a imagem e estilo de um grupo que parecia algo perdido num estilo que não lhe pertencia. Apesar de Far Beyond Driven não ser comparável ao sucesso de 1990, Cowboys From Hell, é um dos discos que mais impacto teve a meio da década, sendo considerado como um dos melhores álbuns de metal extremo. Faz parte da excelente discografia que o grupo conseguiu apresentar a partir de 1990 com cinco exímios álbuns do mais pesado e brutal thrash/groove metal que há memória.


Manic Street Preachers - The Holy Bible

The Holy Bible é o terceiro disco de originais dos ‘Manics’ e marca uma mudança no estilo musical do grupo. Os dois primeiros álbuns mostravam um rock mais obscuro com forte inspiração no punk rock. Para além de ser um dos melhores lançamentos da discografia dos galeses, é também um dos mais críticos da sociedade, religião e política de 1994. É bastante simbólico, pois marca o último álbum, integralmente, composto por Richey Edwards antes de ter desaparecido, em Fevereiro de 1995.


Pink Floyd - The Division Bell

Já foi mencionado num dos ‘Fundamentais do Progressivo‘ anteriores, juntamente com outro clássico, A Trick of the Tail. É um dos mais emocionais e técnicos discos da discografia dos pioneiros do rock progressivo. Apesar de muito criticado, é claramente um álbum, relativamente, injustiçado devido às diferenças de opinião que existem sobre o que, para mim, é o melhor lançamento do ano de 1994.


Ver 5 aniversários, 5 grandes álbuns I (40 anos)

Ver 5 aniversários, 5 grandes álbuns II (30 anos)

// João Braga

Leave a Reply

Your email address will not be published.