Dois álbuns de metal progressivo e novamente de duas bandas anteriormente apresentadas aqui no Fundamentais do Progressivo. Dream Theater e Queensrÿche lançaram na década de 90, dois discos decisivos para as suas carreiras e que marcaram as suas discografias. Ambos os lançamentos foram uma lufada de ar fresco numa década claramente fastidiosa para o rock e metal de boa qualidade.

Dream Theater – 1994 – Awake

Este é o terceiro disco do icónico grupo americano que contou, pela última vez, com a presença de Kevin Moore nas teclas. É dos discos mais bem trabalhados dos Dream Theater e um dos mais importantes juntamente com Metropolis Pt. II: Scenes from a Memory (anteriormente mencionado num dos Fundamentais). Musicalmente foi muito significativo para o grupo já que este álbum continua a servir de inspiração para os discos mais recentes da banda, em que tenta muitas vezes apanhar a “alma e espírito” destes tempos. Não só musicalmente Awake consegue destacar-se, mas também comercialmente conseguindo bons resultados tendo sido disco de platina no Japão e entrando nos “tops” das regiões mais importantes para a indústria como Estados Unidos, Japão, Alemanha ou Suécia, algo que não tinha sucedido com álbuns anteriores.

Lista de faixas para Awake:
01. 6:00Dream_Theater_-_Awake
02. Caught in a Web
03. Innocence Faded
04. A Mind Beside Itself: I. Erotomania
05. A Mind Beside Itself: II. Voices
06. A Mind Beside Itself: III. The Silent Man
07. The Mirror
08. Lie
09. Lifting Shadows Off a Dream
10. Scarred
11. Space-Dye Vest

O disco abre com as rápidas “6:00” e “Caught in a Web” que clarifica quais as intenções do grupo e qual a direcção musical deste lançamento. Ambas as faixas são claros destaques num álbum repleto de boa música com os meus destaques a irem para as faixas acima referidas juntamente com a pesada “Voices”, as estranhas “The Mirror” e “Lie”, a complexa “Scarred” e a atmosférica “Space-Dye Vest”. A produção e performance de grupo são bastante boas com especial admiração para as performances e os sons da bateria de Mike Portnoy e as teclas de Kevin Moore. Apesar de não ser um disco conceptual, a realidade é que grande parte do espírito do disco recai em emoções humanas que estão interligadas e que compõem o quadro lírico desde lançamento de 1994.

Dream Theater – Awake (álbum na integra)

Queensrÿche – 1990 – Empire

Empire marca o início de uma década de 90 relativamente atribulada, pelo menos, em termos de direcção musical. No entanto, Empire ainda consegue ser dos discos de excelência que o grupo conseguiu compor e que representa um culto e uma referência para os fãs mais acérrimos da banda. É o quarto álbum de estúdio dos americanos e foi galardoado com diversos prémios e teve uma projecção comercial bastante boa. “Silent Lucidity” foi nomeada em 1992 para os prémios Grammy e foi um dos “singles” mais bem sucedidos do grupo americano de metal progressivo.

Lista de faixas para Empire:
01. Best I CanQueensryche_-_Empire_cover
02. The Thin Line
03. Jet City Woman
04. Della Brown
05. Another Rainy Night (Without You)
06. Empire
07. Resistance
08. Silent Lucidity
09. Hand On Heart
10. One And Only
11. Anybody Listening?

Confesso que a direcção musical para este disco pode não ter sido a mais inteligente após o lançamento do perfeito Operation: Mindcrime (anteriormente mencionado num dos Fundamentais), Empire é fundamentalmente demarcado com um conjunto de faixas bastante melódicas com um forte ênfase nas letras mais comerciais e mais “amigas da rádio” e com um arranjo instrumental maioritariamente pouco complexo, quando comparado com Operation: Mindcrime. Claramente Geoff Tate faz aqui uma das melhores exibições da sua carreira juntamente com Scott Rockenfield que dá uma força extra a um álbum bastante melódico. Seja como for é um disco de excelente qualidade. Empire é um disco de metal progressivo com uma grande componente de melodia, romance e “amiga das rádios”, mas que funciona tanto para a crítica profissional como para os fãs. Os meus destaques vão para as faixas: “Best I Can”, “The Thin Line”, “Della Brown”, “Another Rainy Night (Without You)”, “Empire”, “Silent Lucidity” e “Anybody Listening?”.

Queensrÿche – Empire (álbum na integra)

// João Braga

Leave a Reply

Your email address will not be published.