Festival Emergente e a nova música portuguesa no Capitólio em Outubro

A terceira edição do Festival Emergente vai acontecer nos próximos dias 15 e 16 de Outubro no Capitólio, em Lisboa, para servir de montra à nova música nacional.

Depois de uma difícil e desafiante edição de 2020, de um só dia e com oito bandas, o festival regressa em 2021 ao seu formato original em dois dias, num alinhamento resultante de um Open Call de bandas emergentes – foram ao todo seleccionadas onze bandas para o alinhamento.

Para além desta selecção para actuar numa sala icónica da capital portuguesa, serão ainda atribuídos dois prémios: Melhor Concerto Super Emergente (por votação combinada do júri e do público) cujo prémio é a actuação no Festival Rodellus em 2022 e ainda Melhor Projecto Musical (da responsabilidade exclusiva do júri) cujo prémio é a gravação de um EP ou álbum nos Estúdios Camaleão, em Lisboa.

A 15 de Outubro vão actuar os seleccionados Mike Vhiles, Conjunto Júlio, Too Many Suns, Mikee Shite e Evacigana, estando ainda convidados a actuar os “padrinhos” Chinaskee, Gator the Alligator e Sreya. No dia seguinte é a vez dos seleccionados Humana Taranja (na foto), Los Chapos, Biloba, Falso Nove, Quase Nicolau e Madalena Palmeirim, com concertos dos convidados Solar Corona, Caio, April Marmara e Bia Maria.

Este ano marca também a abertura do Open Call para videoclips, com a continuidade já assegurada para o próximo ano dada a adesão. De uma selecção de catorze vídeos finalistas serão seleccionados dois para prémios monetários.

O festival volta então a ser realizado fisicamente no coração de Lisboa e também em live streaming, na plataforma Live Stage da Ticketline. A receita do streaming reverterá integralmente para a União Audiovisual, como forma de apoiar aqueles sem os quais os concertos não podem existir.