O festival Jardins Efémeros regressa à cidade de Viseu de 3 a 11 de Julho e já deu a conhecer os primeiros nomes musicais da sua programação.

Lyra Pramuk (na foto) traz a Portugal a electrónica vocal de Fountain, fusão de sensibilidades pop e vocalismo clássico que pode ser entendido como uma espécie de folk futurista modulada. Já o artista e saxofonista Bendik Giske liga o free jazz à música de clubes, como a estreia hipnotizante Surrender revela.

Em colaboração e desafiados a unirem-se durante uma semana, Suso Saiz & André Gonçalves vão apresentar em residência nos Jardins Efémeros o caminho comum das composições electrónicas de ambos. Os portuenses Sereias, autores de País a Arder, também estão confirmados.

Esta edição dos Jardins Efémeros será adaptada às questões de segurança e converge com a missão “A cultura é segura”, portanto todos os espectáculos vão ocorrer no Parque Aquilo Ribeiro, em articulação com a DGS, por forma a conter, em recinto seguro, os seus espectadores e visitantes.

Fica uma espécie de “até já” ao centro histórico de Viseu, local onde efectivamente pertencem os Jardins Efémeros e cuja edição de 2022 nos moldes tradicionais já está a ser preparada em simultâneo.

Leave a Reply

Your email address will not be published.