A organização do Vagos Metal Fest avança com sete novidades no cartaz para os dias 29, 30 e 31 de Julho de 2021, cartaz esse já encabeçado por Dimmu Borgir, Testament e Emperor.

Os norte-americanos Exodus (na foto), um dos nomes fortes da cena thrash metal, juntam-se assim aos Testament no alinhamento desenhado para o dia 30 de Julho. A banda onde se evidencia o guitarrista Gary Holt (e fundada por Kirk Hammett antes de integrar os Metallica) tem o seu 11º álbum a caminho, mas há muita história de thrash desde Bonded By Blood (1985) para mostrar em palco ao público português.

Os britânicos My Dying Bride regressam a Vagos onze anos depois. Liderados por Aaron Stainthorpe e depois de editar o seu 14º álbum – The Ghost Of Orion, lançado em Janeiro último – preparam já o lançamento de um novo EP este ano, intitulado Macabre Cabaret. Para trás estão alguns dos álbuns marcantes do doom metal, como é o caso de Turn Loose The Swans (1993), The Angel And The Dark River (1995) ou Like Gods Of The Sun (1996), três capítulos de uma extensa carreira com o selo da editora Peaceville, que editou outros marcos do metal dos anos 90. Concerto marcado em Vagos a 31 de Julho, juntando-se assim aos noruegueses Emperor.

O Vagos Metal Fest acolhe também o regresso dos norte-americanos Cattle Decapitation. A banda de grindcore/death metal apresentará em solo português o mais recente Death Atlas, o nono álbum da banda californiana, também a 31 de Julho.

A estas novidades soma-se ainda a inclusão dos alemães High Fighter, tal como os portugueses Reverent Tales, Testemunhas do Apocalipse (banda que une membros de Tara Perdida, Dollar Llama e Rasgo) e Serrabulho, estes últimos a prometer uma Festa da Espuma em formato grindcore.

O passe geral para o festival encontra-se à venda por 85 euros, enquanto o bilhete diário vale 40 euros. Tanto um como outro podem ser adquiridos nos locais habituais.

Leave a Reply

Your email address will not be published.