Os Gator, The Alligator possuem um daqueles talentos que é inato aos mais fenomenais dos indivíduos, conseguindo acrescentar um quê de misticismo e mistério ao nosso quotidiano, sendo esse mesmo quotidiano o assunto de muitas das suas composições. Tem sido já apanágio deste jovem grupo de Barcelos, desde a sua formação em 2018, com uma clara evolução musical verificada de “Sleep All Morning” para Life Is Boring, que acaba por originar o nascimento do veículo fantasioso para todas as nossas realidades, o Gator, o personagem-fetiche destes Gator.

Com um apuradíssimo garage rock fortemente apoiado por toadas de rock progressivo realmente técnico e, muitas vezes, refinado por instrumentais técnicos de fazer inveja a bandas mais experientes do género, em 2020, e apesar da pandemia vivida, sairá aquele que é o melhor trabalho do quarteto barcelense, o Mythical Super Bubble. Sim, todos sabemos que um segundo álbum de originais não serve para avaliar a discografia de banda nenhuma, mas é garantido que muita coisa já pode ser demonstrada com o lançamento de dois longas-durações, sobretudo ao nível que os Gator nos têm habituado. Até à data de saída deste álbum, “Feral Rush” foi a faixa de eleição desta banda que, para além de ser de garage rock, conseguiu formatar o seu som para um rock progressivo mais amigo das rádios. Pela escolha deste tema, o grupo mostra ser muito inteligente, pois a vivacidade, electricidade e a dinâmica desta faixa revela muito do que os ouvintes irão ouvir ao longo de oito poderosas músicas conceptuais. Apesar de não ser a faixa de abertura, “Feral Rush” representa a real abertura do disco, depois de “Pact”, com uma componente bem heavy e psicadélica, que faz lembrar uns Captain Beyond na altura da sua maior trip psicadélica, mas com um twist muito interessante do garage rock. Mais tarde, “Strikes and Gutters” é divulgada e revela um portento mais rebelde e até mais punk na sua sonoridade, com uma bateria incessante e lindamente acompanhada por efusivas guitarradas eléctricas.

Os Gator nunca quiseram ser iguais a outros, portanto, há sempre reviravoltas nas suas histórias que acompanham o crescimento do Gator que, juntamente, com Demon personificam a necessidade de se escapar a uma vida aborrecida, criativamente descrita em Life Is Boring; desta vez, neste Mythical Super Bubble, há um desafio novo que tem de ser enfrentado. Nada melhor para o caracterizar do que uma faixa como “Love Potion” que expõe a acalmia transportada pelos Gator, The Alligator que, inteligentemente, nos fizeram soltar toda a nossa energia para depois nos lançarem numa estranha antítese eufórica de um amor por descobrir e misterioso. Neste segundo álbum de originais, os Gator demonstram uma polivalência técnica e musical que se estende pelo heavy, psicadélico, intenso, progressivo com o garage rock ainda a ser o mote das suas composições, fazendo lembrar toques da musicalidade mais próxima de um stoner rock mais refinado e trabalhado, acelerado por uma guitarra bem frenética, para tal “Pact” acaba por ser um bom começo para este longa-duração, com “Shiny Endless Glow” a dar vislumbres de The Sword, sobretudo no primeiro minuto e meio da faixa, para depois acelerar para uma corrida velocista cheio de fôlego psicadélico, que acaba por voltar à base mais stoner. “Gumba Lumba World” é o tema mais esquizofrénico deste álbum, começando lentamente para roçar num punk rebelde, prosseguindo para um rock rápido e efusivo com a guitarra a ter o maior destaque.

Conceptualmente e líricamente, este disco é uma evolução face a Life Is Boring, contendo composições mais inteligentes e bem estruturadas. Apesar de a ideia não ser tornar este lançamento num álbum à Genesis ou Yes, caracterizados por uma intensa história que acompanha o ouvinte numa narrativa musical, este Mythical Super Bubble guia-nos com um conceito mais solto sem nunca comprometer uma só faixa nem fazendo-a depender da história que querem contar. Ora, isso é óptimo para uma banda que quer continuar a ser comercial e a exibir as suas faixas na rádio, conquistando adeptos para o rock progressivo (diferente do habitual). Os barcelenses encerram o álbum com a faixa homónima e “Burst”, mesmo na faixa homónima, o grupo consegue dizer tanto com tão poucas palavras, libertando a sua energia numa faixa instrumental e falada, com um positivismo concludente. “Burst” cria o final perfeito para um conjunto de faixas que se interliga e termina numa cadência semelhante, com os Gator a darem um pouco de tudo, cobrindo todo o tipo de dinamismos nesta sua última música.

Os Gator, The Alligator são um dos quartetos de referência da nossa música e devem ser seguidos. Os jovens conseguiram a faceta de criar um rock progressivo diferente com um garage rock portentoso. Este seu segundo álbum demonstra uma polivalência incrível, cobrindo muitos sentimentos com um conceito rico, mas que, com faixas isoladas, consegue satisfazer os mais acérrimos dos ouvintes. Mythical Super Bubble é um belo lançamento, podendo até vir a tornar-se num dos mais completos discos dos últimos anos, no que toca a lançamentos nacionais. É um álbum conceptual, mas os temas “Feral Rush”, “Strikes and Gutters”, “Shiny Endless Glow” e “Mythical Super Bubble” merecem especial atenção. O Gator evoluiu e encontrou novos obstáculos, Demon é uma contenda a ultrapassar e o aborrecimento da vida terá um simbolismo ainda mais forte neste horrendo ano de 2020. Que evolução terá este personagem na vida dos Gator? Que transformações terá o género musical deste excelente grupo de Barcelos, nos próximos lançamentos? Não sabemos, mas Mythical Super Bubble é um forte indício da revolução que estão a preparar no mundo da música.

 

Autor: João Braga

 

Os Gator, The Alligator possuem um daqueles talentos que é inato aos mais fenomenais dos indivíduos, conseguindo acrescentar um quê de misticismo e mistério ao nosso quotidiano, sendo esse mesmo quotidiano o assunto de muitas das suas composições. Tem sido já apanágio deste jovem grupo de Barcelos, desde a sua formação em 2018, com uma clara evolução musical verificada de "Sleep All Morning" para Life Is Boring, que acaba por originar o nascimento do veículo fantasioso para todas as nossas realidades, o Gator, o personagem-fetiche destes Gator. Com um apuradíssimo garage rock fortemente apoiado por toadas de rock progressivo realmente…

Álbum. 30/09/20

Classificação

Leave a Reply

Your email address will not be published.