Depois da última passagem da banda por Portugal em 2017 dias depois da edição do seu último álbum, New Beginnings, os Radio Moscow voltaram ao nosso país (pela mão da já habitual Garboyl Lives) para dois concertos esgotados. No Porto, os The Black Wizards tiveram honras de abertura do concerto sendo que, no dia seguinte, os Fuzzil vieram até Lisboa dar o pontapé de saída a este regresso ao passado que se adivinhava de festa.

Foi à hora prevista que os Fuzzil subiram ao palco e se depararam com uma casa já bem composta e pronta para vibrar com o quarteto português. Ao longo dos 45 minutos de actuação, houve tempo para alguns temas novos que farão parte de um disco que sai «ninguém sabe quando» (palavras dos próprios) bem como para um regresso aos dois registos discográfico da banda, Boiling Pot e Molten π, EPs lançados em 2015 e 2017, respectivamente. O público foi aumentando e pareceu estar rendido. “Worms”, famoso single do último EP, foi guardada para perto do fim e conseguiu pôr as filas da frente a mexer. Para o final ficou outro tema novo que não demorou a convencer-nos. Resta-nos aguardar com a devida ansiedade e expectativa o novo disco!

Mas a noite era dos Radio Moscow e foi uma sala já completamente cheia que os recebeu. A presença da banda norte-americana em Portugal tem-se tornado habitual, mas a sede deste rock psicadélico pintado a tons de blues parece ser sentida por uma considerável quantidade de público que continua a fazer questão de marcar presença nos concertos do trio.

Com a apresentação de New Beginnings, último álbum lançado em 2017, a ter tido lugar já dois anos antes, o concerto adivinhava-se menos focado no mais recente disco da banda. Ainda assim, foi mesmo “New Beginning”, primeiro tema do álbum em questão, que deu início à cerca de hora e meia de actuação que, desde as primeiras notas, nos fez voltar algumas décadas ao passado. Seguiram-se “So Alone”, do aclamado Magical Dirt (2014), e “Broke Down”, segundo tema do álbum Brain Cycles (2009). Dúvidas houvesse, ficava provada uma menor atenção particular ao último álbum.

No final de cada tema a reacção do público era efusiva, com repetidas ovações que eram correspondidas por Parker Griggs com um «Obrigado! Thank you very much!». O guitarrista e vocalista liderava o power trio e, a cada música, transformava-se num autêntico domador da guitarra que, a todo o momento, parecia conseguir fazer multiplicar a sua companheira de seis cordas. Tempo houve para um tema novo e ainda para uma cover nunca antes tocada ao vivo. Radio Moscow (álbum de estreia lançado em 2007) e The Great Escape of Leslie Magnafuzz (2011) não ficaram esquecidos e alguns dos seus temas fizeram também parte desta oportunidade para revisitar a discografia do trio originário do Iowa.

Depois do primeiro abandono do palco, o público pediu mais e a banda correspondeu com duas músicas. A bonita introdução de “250 Miles” teve direito a acompanhamento em palmas e melodia trauteada por grande parte dos presentes na sala. O sossego, contudo, rapidamente deu lugar a uma intensa descarga de energia e o tema conseguiu mesmo um mosh nas filas da frente. Seguiu-se “Pacing”, que trouxe consigo o derradeiro adeus a Lisboa e à actual tour dos Radio Moscow.

Texto: Bruno Correia

Fotografia de capa, não correspondente ao concerto reportado, com direitos reservados a Matt Stasi/Monkeygoose Magazine – Fonte

Leave a Reply

Your email address will not be published.