Chegou. Estamos oficialmente a poucas horas do NOS Primavera Sound e não conseguimos deixar de antecipar o festival devido à extensão e diversidade do seu cartaz. A decorrer nos dias 7, 8 e 9 de Junho no Parque da Cidade do Porto, a já esgotada sétima edição garante luxo em todas as vertentes dos seus cinco palcos, adicionando até uma noite de aquecimento na Avenida dos Aliados na véspera, a 6 de Junho, com concerto gratuito de Fatboy Slim.

Já dentro do parque e ao primeiro dia, quinta-feira, as atenções maiores vão cair para Lorde, às 22h00 no Palco NOS, que nos traz Melodrama e os valores humildes de uma das maiores referências da pop moderna, naquele que será o seu segundo concerto em solo português. Na ponta oposta do parque, às 23h20 no Palco SEAT, o rapper Tyler, the Creator estreia-se finalmente por cá e logo com um dos registos mais aclamados do hiphop dos últimos anos, Flower Boy. Destaque ainda para a electrónica de Jamie xx, para as canções pregadoras de Father John Misty, para a batida incessante Mall Grab, para o indie rock de Waxahatchee ou para o pós-punk gélido de The Twilight Sad.

Na sexta-feira, 6 de Junho, o festival é encabeçado pelo hiphop de A$AP Rocky, que actua às 00h45 no Palco NOS, mas o nosso destaque vai para a abordagem distinta do igualmente rapper Vince Staples. Às 22h15 no mesmo palco, Vince vai apresentar Big Fish Theory e o porquê de tornar tão célebres as fusões que faz com o seu hiphop. Nas slots anteriores do Palco NOS o destaque mantém-se: as icónicas The Breeders (19h50) estão de regresso aos pilares do indie, enquanto que os jovens IDLES (17h45) arrastam os pubs ingleses para o relvado do Porto. Noutras paragens há Fever Ray, uma estreia há muito aguardada e logo após um longo hiato, que promete à meia-noite do Palco SEAT um dos momentos mais inquietantes do festival na apresentação do bizarro Plunge. Menção ainda para outros concertos, como é o caso de Ibeyi (20h45), Thundercat (23h20) e Unknown Mortal Orchestra (01h00) no Palco Pitchfork, Grizzly Bear (20h50) no Palco SEAT, Helena Hauff (01h30) no Palco Bits e, claro, Shellac (21h00) no Palco Super Bock. Que maratona.

Talvez o ritmo seja menos alucinante no derradeiro dia, mas a antecipação por Nick Cave & The Bad Seeds não vai permitir relaxamentos. Será às 22h05, no Palco NOS, que Cave descerá à terra para dar, provavelmente, o concerto mais aguardado do festival, num feliz regresso ao Parque da Cidade do Porto. Já no Palco Super Bock, às 23h40, Nils Frahm vai desencadear nos seus sintetizadores as sensibilidades de um híbrido da electrónica e da música neoclássica, como nos mostra no recente All Melody. O mesmo palco vai receber Kelela, às 18h50, um novo astro do R&B mais denso e que não deve passar despercebido. Outros destaques incluem o rock no regresso de Mogwai (00h45) no Palco NOS e ainda Wolf Parade (21h45) e The War On Drugs (23h40) no Palco SEAT. Já o Palco Pitchfork vai receber talentos em bruto por descobrir ou por confirmar, como é o caso do venezuelano Arca (02h30) ou da camaronesa Vagabon (19h00), intercalados por outros igualmente ermergentes Kelsey Lu (20h45), Jay Som (22h00) e Abra (23h30). E melhor ainda, é fechar o festival com Talaboman (04h00) no pavilhão do Palco Bits. Tudo certo.

Vai um até já à/ao Primavera?

Leave a Reply

Your email address will not be published.