O novo lote de confirmações para o FMM Sines – Festival Músicas do Mundo faz-se em português, mesmo com ligações à música africana e sul-americana, passando-se pelo fado, folclore e electrónica.

Scúru Fitchádu (na foto) é ideia de Marcus Veiga, que resulta num cocktail de funaná cabo-verdiano e estética/caos punk e tem sido um dos nomes mais urgentes da nova música portuguesa nos últimos meses. Também em celebração aos ritmos de Cabo Verde, os Fogo Fogo nasceram na lisboeta Casa Independente, um dos centros da cultural de mestiçagem que é um dos traços da nova movida lisboeta. Já a cantora e compositora Sara Tavares estreia-se em Sines numa altura em que inicia uma nova fase da carreira com Fitxadu, o novo disco depois de um silêncio discográfico de oito anos.

Aldina Duarte representará o fado numa apresentação de Quando se ama loucamente, álbum raro na história do género por ter sido a primeira fadista e letrista a escrever um disco seu na íntegra. Também de voz se fala quando se refere Susana Travassos, esta ligada ao canto lírico e ao jazz, que chega ao litoral alentejano com Pássaro Palavra, gravado em Buenos Aires e marco físico da sua experiência na América Latina.

A fechar as confirmações portuguesas, os Live Low são autores de ambientes electrónicos com base no folclore português e ispirados nas recolhas de Giacometti e Lopes Graça e nas composições de música portuguesa de raíz tradicional.

O FMM Sines decorre de 19 a 28 de Julho em Sines e Porto Covo. Informações relativas a bilhetes e todo o cartaz revelado até ao momento podem ser consultados, aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published.