O FMM Sines – Festival Músicas do Mundo acrescenta ao seu já extenso cartaz uma nova fornada de nomes que chega a partir de África para actuar em Sines e Porto Covo, de 19 a 28 de Julho.

Do Mali chega o apelidado “Hendrix do Sahara”, Vieux Farka Touré (na foto). É um dos grandes guitarristas do continente e traça um estilo pessoal que se estende do desert blues ao funk, reggae e música latina. O filho de Ali Farka Touré estreia-se no festival em formação de trio. Também do Mali chega o primeiro grupo afro-cubano com origem em África, Maravillas do Mali, que nesta digressão têm com convidado especial Mory Kanté, cantor e mestre do kora.

Bulimundo, com o seu acordeão diatónico e facas que marcam o ritmo a raspar barras de ferra, abriu os horizontes do funaná a partir do interior da ilha de Santiago. É já desde 1978 que a história da música de Cabo Verde passa por esta referência, não desconsiderando novos talentos como é o caso de Elida Almeida, que volta ao festival com um novo disco de afirmação da sua identidade africana – Kebrada.

Outro nome de peso confirmado é o de Oliver Mtukudzi. Soma 40 anos de carreira, 60 álbuns de originais, o cargo de embaixador UNICEF para as crianças da África oriental e meridional e é um artista com um estilo único. Um verdadeiro embaixador da música popular do Zimbabué apoiado pela banda que o acompanha desde os anos 70, os The Black Spirits. Já a tocar a história mais recente, o grupo Imarhan traz do extremo sul da Argélia uma nova onda da música tuaregue, evidenciada no trabalho mais recente, Temet.

A fechar o lote de novidades, a orquestra Timbila Muzimba da pluralidade musical moçambicana e a colaboração Mark Ernestus’ Ndagga Rhythm Force, com um pé na electrónica de Berlim e nos polirritmos do mbalax de Dakar, também garantem a sua presença em Sines.

Leave a Reply

Your email address will not be published.