A promotora Dedos Bionicos está há dez anos a colocar Bragança no mapa da música. E tamanho feito é celebrado já a partir de hoje, 17 de Novembro, com dez concertos até ao final do ano em locais diferentes do centro da cidade.

O arranque faz-se então, como referido, já hoje com concerto de Chain na Plataforma de Arte e Criação. Já amanhã, dia 18, o Galo Cant’Às Duas (na foto) no Museu do Abade de Baçal. O ciclo de concertos prossegue com Cassete Pirata (dia 23, Museu do Abade de Baçal) e Homem em Catarse (dia 25, no Centro Ciência Viva de Bragança).

Já em Dezembro é a vez de Chinaskee & Os Camponeses (dia 2, no Museu do Abade de Baçal), Veer (dia 9 à tarde, na Galeria História e Arte), Surma (dia 9, na Plataforma de Arte e Criação), Rodrigo Amado Motion Trio (dia 15, no Museu do Abade de Baçal), The Orm (dia 16, no Tó Liz Hair Designer) e, por fim, O Bom, o Mau e o Azevedo (dia 23, na Plataforma de Arte e Criação).

A entrada para estes concertos pode custar de um donativo consciente até um máximo de 5 euros.

Este é o culminar de dez anos de esforços de uma promotora que já agenciou mais de 400 concertos de forma independente, colocando a tocar em Trás-os-Montes ao longo da década nomes como Peter Broderick, Steve Gunn, Matt Elliott, Calvin Johnson, Glenn Jones, Ian Svenonius, Laetitia Sadier ou Carla Bozulich, para além de bandas como Altar Of Plagues, Nadja, Moon Duo, Motorama, The Underground Youth ou Enablers.

Leave a Reply

Your email address will not be published.