No derradeiro dia de Junho de 2017, sob um ar semi-frio e o olhar atento do castelo dos coruchéus verdes, os alcobacenses The Gift deslocaram-se à relativa vizinha vila de Porto de Mós, para apresentar, nas Festas de São Pedro, o seu mais recente trabalho, Altar. Durante cerca de hora e meia, Sónia Tavares e companhia aqueceram a multidão presente, com cuidado equilíbrio entre músicas novas e clássicos antigos, num concerto sempre pautado por uma voz grave imponente e desempenhos instrumentais de afoita entrega.

Faltavam 16 minutos para as 23 horas quando o primeiro trio de novas músicas se apresentou à plateia, começando pela sonhadora e reconfortante Vitral, passando depois pelo single mais experimental Love Without Violins e terminando com uma dedicação às mulheres, You Will Be Queen. A rainha que já o era mostrou-se sempre comunicativa, simpática e dona do palco, abraçando o público com palavras doces, confessando-se feliz pelo regresso “a casa”, depois da passagem recente pelo Central Park em Nova Iorque.

No seguimento do arranque musical mais lento e melódico, dois clássicos foram entoados; primeiro Primavera, com direito a um mar de estrelas electrónicas no público, depois Music, acompanhada de palmas e com um pequeno trecho de Chandelier de Sia antes do refrão final quase a-capella.

O momento de viragem do concerto foi anunciado pela Sónia com um “vamos dançar!”, ao qual se seguiu o contagiante ritmo de Driving You Slow. De regresso ao novo álbum, mas mantendo o ritmo em alta, Big Fish fez-se ouvir em todo o seu esplendor, mostrando o porquê de ser a maior aposta da banda no novo álbum no que aos palcos de dança diz respeito. Recuando meia dúzia de anos, RGB deu um pequeno toque nostálgico antes de Altar voltar a brilhar com Malifest, com aquela entrada gospel a desenrolar-se na música mais bem disposta do novo disco.

Clinic Hope foi a última nova revelação da noite, terminando o seguimento de temas mais dançáveis. A fechar, a incontornável Clássico, cantada pela plateia num momento de comunhão com a banda, e uma versão mais curta de The Singles, deixando a banda o palco num tom divertido.

Apenas 3 minutos depois, Sónia Tavares e Nuno Gonçalves surgiam num mini-palco improvisado no meio do público, para no seu seio interpretarem as baladas Actress e Gaivota, esta última uma interpretação sentida do fado de Amália Rodrigues. Continuando ao sabor da melancolia, de volta ao palco principal, Fácil de Entender foi a última música diferente na setlist da noite. Mas a despedida final, essa, ficou para Big Fish, reentoada para que aquele ritmo e melodia contagiantes ficassem nos corpos e ouvidos de todos.

Dispersado o povo, com muitos visivelmente deliciados, a noite continuou com as restantes ofertas das festas, ficando para a história uma passagem inesquecível dos The Gift em Porto de Mós, onde certamente serão bem recebidos quando voltarem.

Setlist: Vitral | Love Without Violins | You Will Be Queen | Primavera | Music | Driving You Slow | Big Fish | RGB | Malifest | Clinic Hope | Clássico | The Singles | Actress | Gaivota | Fácil de Entender | Big Fish

Texto: David Matos
Fotografia: Marina Silva
Agradecimentos: Fundo Social da Câmara Municipal de Porto de Mós

Leave a Reply

Your email address will not be published.