Se há um grupo português com uma história incrível, é este. Os The Parkinsons partiram de Coimbra para virar os palcos do avesso e em 2002 davam-nos um álbum: A Long Way To Nowhere, só agora editado em vinil e com o EP Streets of London a acompanhar.

Um longo caminho para lado nenhum, poderia ser, não tivessem os The Parkinsons escrito, reescrito, cuspido, rasgado e incendiado várias páginas do rock. Dos concertos caóticos ao convite para tocar na festa de aniversário de Joey Ramone tem de haver uma certa distância. Mais ainda quando são lançados na primeira parte de tours de Jon Spencer Blues Explosion e The Fall. Só depois chegava A Long Way To Nowhere, já “cansados” de destruir os Estados Unidos, numa altura em que se fixaram em Londres. Esse disco de estreia foi produzido por Jim Reid de The Jesus and Mary Chain e pretexto para tocar em locais como o Reading Festival, numa altura em que a Europa fazia correr tinta sobre a banda. Choveram as comparações com os The Stooges e a possibilidade de ser uma louca resposta europeia aos The Strokes.

Esse mesmo álbum chega agora ao formato de vinil e estão marcadas duas noites para celebrar tal feito. O Sabotage Club sempre pareceu pequeno para albergar o caos de um concerto de The Parkinsons, pelo que a dose dupla parece ser a quantidade q.b. de fúria punk – dias 24 e 25 de Novembro, já esta semana, a sala do Cais do Sodré é toda deles.

Leave a Reply

Your email address will not be published.