Ok, uma lista é uma lista e vale o que vale. Mas se por algum motivo estás no Vodafone Paredes de Coura e com os dados móveis ligados decidiste abrir este artigo, é porque alguma espécie de guia no festival é-te convidativa. O festival arranca amanhã, 17 de Agosto, mas o que não falta na romaria à Praia Fluvial do Taboão são milhares de festivaleiros que se instalam uns dias antes para umas mini-férias.

Para a 24ª edição do festival Vodafone Paredes de Coura, depois de uma histórica edição lotada em 2015, o cartaz é encabeçado por LCD Soundsystem, Cage The Elephant, CHVRCHES e Unknown Mortal Orchestra. Apenas quatro de várias dezenas de nomes, onde recolhemos dez que achamos um pouco mais essenciais do que os restantes no roteiro deste festival. O cartaz completo e horários podem ser consultados, aqui.

#01 LCD Soundsystem

Já era óbvio, mas não custa mais sublinhar a presença de James Murphy no habitat natural da música. Trata-se de um regresso à actividade muito cantado, apesar da extensa cerimónia fúnebre da banda de Brooklyn em 2011. Quatro anos parece ter sido o distanciamento para Murphy se inteirar daquilo que tem em mãos. Da icónica frase “Shut Up and Play the Hits”, imortalizada como título do documentário de 2012 que trata o fim da banda, passou-se a nova acção em palco. This Is Happening, e em Portugal pela primeira vez após o hiato. É a 18 de Agosto no Palco Vodafone.

https://www.youtube.com/watch?v=qdRaf3-OEh4

#02 King Gizzard & The Lizard Wizard

Os King Gizzard que conhecemos deram um concertão há dois anos no interior de uma garagem na baixa de Lisboa. A popularidade que agora têm surge com naturalidade, com uma incansável destreza para locomotivas musicais registadas em disco todos os anos. Se em 2014 a obra dos australianos em voga era I’m In Your Mind Fuzz, este ano há o novo Nonagon Infinity – um disco que se repete, em loop, como uma infinita jam session de rock louco, lo-fi e psicadélico, projectado das garagens para um palco enorme como o de Paredes de Coura. A 19 de Agosto no Palco Vodafone.

#03 Minor Victories

É uma das bandas mais recentes em cartaz – formaram-se em 2015 e o primeiro álbum saiu há um par de meses atrás. Mas o destaque em cartaz deve-se à constituição destes Minor Victories. Fala-se de uma superbanda que junta Rachel Goswell de Slowdive, Stuart Braithwaite de Mogwai, Justin Lockey de Editors e ainda o seu irmão James Lockey. O resultado equilibra-se algures entre as bandas que constituem. Há em Minor Victories a voz etérea do shoegaze de Slowdive, os crescendos post-rock de Mogwai e os riffs melódicos do indie de Editors. A 17 de Agosto no Palco Vodafone.

#04 Psychic Ills

Com um catálogo de discos construído com o selo da Sacred Bones desde 2011, têm no novo Inner Journey Out o motivo de apresentação no Minho. Estes Psychic Ills têm potencial para dar continuidade à presença de underdogs de culto pelo palco número dois do festival, recordando-se assim as passagens recentes de Iceage e Perfect Pussy por lá. Mas do punk parte-se para uma das bandas de rock experimental e psicadélico a seguir de perto. Dia 19 de Agosto no Palco Vodafone FM.

#05 Sleaford Mods

Provavelmente a banda mais britânica à face da terra. De Nottingham para o mundo instigam à percepção de assuntos do quotidiano deste novo século. A lírica aborda a nova Grã-Bretanha em tempos de austeridade, a cultura e a vida da classe operária. Tudo isto em torno de um post-punk minimalista. Não conseguimos imaginar melhor banda a traduzir o espírito crítico de Trainspotting em música. Nada mais vai importar durante este concerto, a 18 de Agosto no Palco Vodafone.

#06 Cigarettes After Sex

Um curioso caso de popularidade nascido nas redes sociais. Os Cigarettes After Sex de Greg Gonzalez ainda não têm álbum pronto mas já tocam pelo mundo fora desde o lançamento do EP de estreia, I., de 2012. “Nothing’s Gonna Hurt You Baby”, “I’m A Firefighter”, “Dreaming Of You”, “Starry Eyes” e o mais recente single, “Affection”, são canções tão relacionáveis como as frases feitas rebloggadas no Tumblr ou pelos instagrammers mais inspiradores. Nova dose de shoegaze às margens do rio Coura a 20 de Agosto no Palco Vodafone FM.

#07 Algiers

A passagem recente pelo NOS Primavera Sound terá surpreendido quem ainda não os conhecia. Algiers vão do post-punk ao gospel e do noise à soul, muito graças à simbiose industrial do baixista Ryan Mahan e do guitarrista Lee Tesche com a voz e guitarra do incansável Franklin James Fisher, acompanhados pelo baterista Matt Tong. Aposta da Matador Records, lançaram em 2015 a estreia homónima e desde então que enchem o olho do público sempre que pisam um palco. Actuam desta vez a 18 de Agosto no Palco Vodafone FM.

#08 Jacco Gardner

A empatia do público português com Jacco Gardner teima em crescer. O “holandês voador” faz passagens consecutivas pelos nossos palcos mas isso não lhe tira o ritmo sonhador e ambicioso de Cabinet Of Curiosities, de 2013, e de Hypnophobia, de 2015. Encontra em Paredes de Coura um público já entrosado com o rock psicadélico e com as sonoridades revivalistas dos anos 60, prova mais do que consolidada no ano passado com a enchente para Tame Impala. Actua a 19 de Agosto no Palco Vodafone FM.

#09 We Trust ft. Coura All Stars

A representação nacional nas recomendações é feita pelo concerto inaugural do festival. We Trust de André Tentugal abre o percurso musical do Vodafone Paredes de Coura 2016 com uma actuação especial. Em residência artística na vila local desde Abril, terminam assim um ciclo convidando a camada jovem a partilhar ensaios, culminando com a experiência de subida ao palco. We Trust ft. Coura All Stars é o nome dado ao concerto que dá voz ao talento local e aos que representam o futuro da vila. A 17 de Agosto no Palco Vodafone.

#10 Suuns

Os canadianos Suuns surgem no cartaz do 24º Vodafone Paredes de Coura como after-hours. Justifica-se se e só se for potenciado toda a electrónica do krautrock registados em Hold/Still, lançado em Abril último. Este disco é o apaixonar dos Suuns com os caminhos obscuros do rock psidadélico e aliados aos beats nocturnos, parece funcionar como um after à imagem de The Soft Moon em 2015. Esperemos que sim, a 18 de Agosto no Palco Vodafone FM.

Autor: Nuno Bernardo

Leave a Reply

Your email address will not be published.