“We gon’ be alright”. Um verso curto de um refrão cheio de significado, de história, de conflitos, eternamente associado a Kendrick Lamar, uma das vozes da música mais aplaudidas dos últimos anos. Esse refrão que ecoará pela arena do Palco Super Bock no próximo Super Bock Super Rock quando a sua 22ª edição estiver muito perto do fim. Nós vamos ficar bem, é certo, pois até esse derradeiro 16 de Julho passam pelo Parque das Nações, em Lisboa, nomes como Iggy Pop, The National, Massive Attack, De La Soul, Disclosure, Bloc Party, Kurt Vile, Jamie xx, GNR, entre outros que compõem um cartaz de luxo durante três dias. A consultar, aqui.

O Rock regressou à cidade no ano passado e é na cidade que o festival continuará a arriscar de diversas formas. Não é só no cartaz que o 22º Super Bock Super Rock se apresentará, de 14 a 16 de Julho, como uma força bem delineada de Rock como atitude, mas também na forma como comunicará com os festivaleiros. É que pela primeira vez em Portugal um festival cria uma conta no WhatsApp para esclarecer todas as dúvidas dos seus visitantes – será a partir do número 967 810 867 que todos poderão contactar o Super Bock Super Rock através da aplicação, para que nada falte a quem precise de ser esclarecido.

A preocupação para com os festivaleiros estende-se aos transportes, com reforço da Carris e Metro (informações, aqui) e com comboios especiais e vantagens da CP para os portadores de bilhete de festival (informações, aqui). Outras informações úteis, como mapa do recinto, como chegar e onde ficar, podem ser consultadas, aqui. Mas para que nada mesmo falte a quem visita o festival, está disponível uma app do Super Bock Super Rock para iOS na Appstore e em breve também na Play Store. Nesta aplicação os festivaleiros poderão agendar os concertos que não vão querer perder, receber notificações sobre o início dos concertos e ainda consultar o mapa do recinto com a funcionalidade de perceber os locais mais ou menos povoados para evitar filas desnecessárias em bares ou WCs.

Mas há mais novidades que tornam o festival multidisciplinar. Com o propósito de aproximar os visitantes à arte urbana, a Super Bock estabeleceu uma parceria com a plataforma Underdogs para explorar duas vertentes. A primeira inclui três workshops colaborativos para pintura de murais a acontecer na plateia do Palco Super Bock, todos os dias entre as 16h e as 19h, a serem dados por três artistas do colectivo – Kruella d’Enfer, Mar e Halfstudio. A participação será feita a partir das plataformas digitais da Super Bock. Já a segunda vertente será materializada através de duas exposições. Uma, com venda de arte urbana no Pavilhão de Portugal, incluirá obras de Vhils, ±MaisMenos±, Akacorleone, Robert, André Carrilho, entre outros. A segunda exposição, intitulada Supersonic e fixada no deambulatório do Palco Super Bock, terá a curadoria de Michael Spencer Jones e de João Afonso e a presença de fotografias de artistas como Oasis, Leonard Cohen, The Verve, Suede, Happy Mondays e The Stone Roses.

Tudo isto a acontecer de 14 a 16 de Julho enquanto o 22º Super Bock Super Rock tem em cartaz um total de 45 artistas para ver em palco. Já havíamos dado dez motivos para não perder o festival, onde destacámos Kendrick Lamar, Iggy Pop, Massive Attack & Young Fathers, The National, De La Soul, Kelela, Jamie xx, DJ Shadow e Mac DeMarco, mas há mais por referir e a ter em conta neste alinhamento – GNR, por exemplo, instituição do rock nacional que interpretará Psicopátria na íntegra para assinalar o 30º aniversário da lançamento do disco. Já os irmãos Disclosure farão nova investida a Portugal com o recente Caracal e espectáculo visual renovado; Kurt Vile confirmará mais uma vez que é um dos nomes brilhantes da folk contemporânea com B’lieve I’m Goin Down…; os madrilenos The Parrots vão fazer muito barulho com o álbum de estreia ainda em perspectiva; o português Moullinex vai-se apresentar em dose dupla no festival, ora em apresentação de Elsewhere, ora em tributo a Prince com a sua “A Purple Experience”; os Pista vão gingar ao máximo com o seu Bamboleio já na estrada; os Orelha Negra que regressaram aos palcos e que vão inaugurar o ritmo das batidas do hiphop no palco maior do festival; a Débora Umbelino a encarnar Surma como artista recomendada pelo Tradiio; os Capitão Fausto a mostrar Têm os Dias Contados, apesar de não terem; os FIDLAR a trazer o skate punk/garage rock da solarenga Califórnia; os Bloc Party a apresentar Hymns, novo capítulo de uma carreira que se potenciou com a estreia Silent Alarm; o duo intercontinental Rhye a regressar ao nosso país com Woman e um punhado de novas ideias para o disco que aí vem; e os australianos do indie rock The Temper Trap a inaugurar o Palco Super Bock com Thick As Thieves, entre tantas outras atracções neste 22º Super Bock Super Rock. O que não faltam são motivos para o Rock ser celebrado. Nós vamos, de certeza absoluta, ficar bem.

Leave a Reply

Your email address will not be published.