É mais um álbum de uma banda que regressou aos palcos recentemente, por breves momentos, para tocar este e outros discos que fizeram a sua carreira famosa, como uma das bandas mais importantes do rock português. Para quem ainda não conhece, falo pois dos Arte & Ofício que, juntamente com José Cid, Tantra ou Quarteto 1111, ajudaram a tornar o rock português mais progressivo e inovador nos finais dos anos 70. Faces foi lançado em 1979 e mostra isso mesmo.

A banda é uma das grandes bandas portuguesas, que desafiaram o sistema e instalaram um género musical que revolucionou a indústria musical portuguesa, no fim dos anos 70 e na década de 80. Faces foi o seu maior contributo, conseguindo impor um rock muito diferente do que era feito, na altura, misturando-o com algum jazz e alguns elementos de rock progressivo. Faixas como “Contradiction”, “Lobster Society”, “Young Chicks” ou “Turn The Light” relevam a qualidade de um dos melhores discos portugueses e que serviram de mote para uma reunião da banda, no ano transacto de 2015.

Lista de faixas para Faces (1979):

Young Chicks faces
Contradiction
Follow Me Over Via Dover
Lobster Society
All We Have To Do
Trip
Turn The Light
Endless Way
Sea Of Monsters
Finally

Faces é o grande lançamento da banda que, até então, se direccionava para algo mais progressivo com lançamento de EPs como The Little Story of Little Jimmy e Come Hear The Band, dois EPs que mostravam uns Arte & Ofício bastante jazzy e progressivos na abordagem da sua música. Em 1981, o grupo corta com essa abordagem e lança-se para algo mais ‘comercial’, lançando Danza. Ainda assim, os Arte & Ofício sempre foram e serão uma banda de rock que tinha a fusão de outros estilos como grande inspiração para a sua música. Juntamente com outros álbuns já mencionados, na RS, Faces é um dos sempre esquecidos discos que marcaram uma geração de ‘rockeiros’.

arte_e_oficio_

Autor: Ruído Sonoro

Leave a Reply

Your email address will not be published.