Parece feitiço mas só quem foi sabe o que pode se esperar de um concerto com estes meninos, Throes + The Shine. Só pode ser Wanga! 21 de Abril, Lux quase lotado e pelas 23h30 começam a surgir os primeiros ritmos de rockuduro, esta fusão musical improvável criada pelo quarteto meio português, meio angolano, que não deixa ninguém quieto.

Moullinex, convidado no concerto, foi o único a resistir, mantendo uma postura compenetrada enquanto assistia aos seus pupilos, revelando a merecida seriedade inesperada de um concerto no qual os participantes podem fazer de tudo, menos estar parados. Ao lado de Xinobi, igualmente fundamental em projectos com a marca Discotexas e com ajuda de Miguel dos Savanna, partilharam o palco com os quatro rapazes. A marcar presença neste disco está também Da Chick, que fez o público descer até ao chão e regressar ao topo, num salto vibrante, em noite onde até alguns dos rostos mais conhecidos da sociedade marcaram presença.

Nem a elevada rapidez na pronuncia das letras inteligíveis, ou o desconhecimento do seu significado, fizeram os presentes abrandar. Após relembrarem o sucesso de alguns hits anteriores, como “Batida”, “Tuyeto Mukina” e “Tipo Ya”, Diron não tolerou o calor e fez saltar a sua camisola. Já André levou os presentes ao rubro com os seus movimentos, deixando a sala responder em coro «ta a kuiar». “Capuca”, o single de apresentação do novo álbum, fez vibrar a sala e Marco, embrenhado nas suas cordas e teclas, arriscou-se a ficar sem óculos, deixando-os  suportados pela percussão. Igor, na bateria, permitiu a continuidade do ritmo, num concerto sem pausas.

Eles prometeram e cumpriram: a sala aqueceu. No forno está agora o CD, a sair já no próximo dia 20 de Maio. É Wanga e sucede a Mambos de Outros Tipos.

Texto: Ana Margarida Dâmaso
Fotografia: Throes + the Shine

Leave a Reply

Your email address will not be published.