O IndieLisboa é uma extensa celebração do cinema e da imagem. O 13º Festival Internacional de Cinema Independente da capital portuguesa acontece de 20 de Abril a 1 de Maio em diversos espaços como o Cinema São Jorge, a Culturgest, o Cinema Ideal e Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema.

As vibrações musicais, como é hábito, também marcam presença no IndieLisboa sob a forma de IndieMusic. Mas antes disso, já no próximo sábado dia 9 de Abril, há festa de antecipação do festival com concertos de Pega Monstro e Ninaz e ainda DJ set de Pedro Ramos nas catacumbas do Liceu Camões a partir das 23h00, antecipado às 21h30 pelo filme RoboCop de Paul Verhoeven.

No corpo do IndieMusic o destaque maior vai para The Parkinsons (na foto). A lendária – de tantos adjectivos que poderíamos buscar no dicionário, qual é que não se aplicaria? – banda de punk, que faz do palco o seu Cabo Canaveral para actuações de outro mundo, tem a sua carreira retratada no documentário A Long Way To Nowhere, de Caroline Richards, para ser exibido no dia 22 de Abril no Cinema São Jorge às 21h15, seguindo-se depois de concerto da banda na Taberna das Almas a partir das 23h00.

Destaque também para Janis: Little Girl Blue, filme de Amy Berg sobre Janis Joplin e o seu desaparecimento precoce, com palavras secretas lidas por Cat Power, a ser exibido no dia 22 de Abril no Cinema São Jorge pelas 21h30. Em evidência surge também Sharon Jones, vocalista dos The Dap-Kings e que actuará em Paredes de Coura no próximo mês de Agosto. Miss Sharon Jones de Barbara Kopple retrata a história inspiradora da voz que luta contra um cancro do pâncreas ao mesmo tempo que procura usufruir do sucesso que lhe escapou ao longo da vida.

Retratado no IndieLisboa será também Jaco Pastorius, um dos mais notáveis baixistas de jazz do seu tempo, com a fita Jaco de Stephen Kijak e Paul Marchand a ser mostrada dia 22, às 19h00, na Culturgest. Também Leon Russell, multifacetado músico de folk, é visado em filme póstumo A Poem Is A Naked Person, de Les Blank, a 24 de Abril às 23h45 no e 1 de Maio às 19h00 no Cinema São Jorge.

Um dos curiosos destaques vai também para Breaking A Monster, de Luke Meyer, que retrata a história dos três putos de Unlocking The Truth, banda que em 2014 abriu concertos para bandas como Queens of the Stone Age, Motörhead ou Guns N’ Roses, num eventual sucesso extremamente precoce da banda. Dia 24, às 16h00, no Cinema São Jorge.

O nosso último destaque vai para Tecla Tónica, o mais recente filme de Eduardo Morais, onde a pop electrónica portuguesa é observada e ouvida de perto, com intervenções notáveis de DJ Vibe, Vítor Rua ou José Cid, entre outros. Esta sessão de cinema, dia 30 na Culturgest pelas 21h30, é sucedida por uma festa de encerramento do festival com concerto de Ghost Hunt e DJ sets de W.A.S.T.E. Club, Nunchuck e Lena Huracán (em modo VJ).

E como a programação é muito extensa – esta foi apenas meia-fatia da parte musical, que é apenas um pouco do que é o IndieLisboa – o melhor é consultar o site do festival para mais detalhes e informações, aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published.