Nos dias 4 e 5 de Março, os nºs 19 e 20 do Jardim 9 de Abril de Lisboa recebem o primeiro festival neofolk português, o Oestrymnis – Festival de Arte Folk. Organizado por Trobadores – Taberna Medieval e a banda Urze de Lume, o evento procura celebrar as origens mais primitivas da existência ibérica, de onde surge o nome. Oestrymnis, extremo oeste, foi o nome dado pelo poeta romano Rufus Festus Avienus à região oeste da Península Ibérica, sendo os Oestrymni o povo que habitava a área hoje conhecida como Portugal e não só.

Na forma musical o festival contará com a presença de alguns dos grupos mais importantes da cena neofolk ibérica, onde se destacam os espanhóis Sangre de Muerdago e Àrnica e os nacionais Drusuna, Camerata Ophiussa, Falcata de Fogo e os anfitriões Urze de Lume, de regresso após 2 anos de interregno, para apresentar o novo disco Caminhos da Urze.

Cada um dos dias contará com uma palestra que abordará a temática histórica do Oestrymnis por Carlos Carneiro. Estão também garantidas as presenças do construtor de harpas celtas David Miguélez, os construtores de instrumentos musicais Sons da Música, o construtor de sanfonas Cesar Loureiro, o construtor de instrumentos de cordas Orlando Trindade, a arte MourasEncantadas de Sofia Pinto Correia, a companhia discográfica Equilibrium Music, o centro de recuperação do lobo ibérico Grupo Lobo, a Raíz Ibérica Asociación Cultural, as encadernações personalizadas Ex Sapientia, o artesanato em couro Horda Costumes, a cerâmica artesanal Origines Art, o artesanato em madeira pirogravada Spirit Of The Wood, a arte ferreira Brother to Brother Knives & Ironwork e Zéfiro – Edições e Actividades Culturais.

Os bilhetes diários custam 8 euros e o passe custa 13 euros, podendo estes ser adquiridos no site oficial ou no Trobadores. Consulta a nossa página alusiva ao festival, aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published.