Vem aí novo ano, nova agenda e novos concertos para todos os gostos. De toda a música em geral que vai acontecer em solo nacional durante 2016, destacamos aqui alguns dos já confirmados concertos de música extrema para quem tem como perfil auditivo o metal e o rock mais pesado.

Podíamos começar por dois dos maiores nomes do hard’n’heavy, mas começamos por destacar as duas extensas noites prometidas por Machine Head nos Coliseus do Porto e de Lisboa, nos dias 7 e 8 de Fevereiro. Mas claro, é óbvio que é de destacar as presenças de AC/DC e Iron Maiden na capital. Os australianos actuam a 7 de Maio no Passeio Marítimo de Algés, enquanto os britânicos apresentam o novo The Book of Souls no MEO Arena no dia 11 de Julho.

Em Fevereiro recebe-se no Paradise Garage, também em Lisboa, o metal progressivo de Symphony X, mesmo a fechar o mês antes de um Março alarmante. Um par de semanas antes, no RCA Club, ocorre o festival Under The Doom, que junta os nomes de Primordial e Esoteric no cartaz. Logo a abrir esse mês teremos Deafheaven e Myrkur a fazer visitas conjuntas no Porto e em Lisboa, intercalados com as datas de Blues Pills. Também em Março há data única de Baroness em Lisboa e visita tripla de Black Mountain – Porto, Lisboa e Açores. De mencionar também, no início de Março, a visita de Necros Christos ao Side B, em Benavente.

Para além de Baroness, da agenda da Amazing Events verificamos a presença de Greenleaf por cá em Janeiro em Cascais (com data também no Porto), The Vintage Caravan em Fevereiro e Sasquatch e The Graviators em Março.

A nível de festivais, felizmente, há muito por onde pegar. Seja com os valores nacionais no Évora Metal Fest ou com data única em Portugal de Tankard no Moita Metal Fest, ou com os mais óbvios Vagos Open Air (ainda sem informações) e SWR Barroselas Metalfest (este com Marduk, Aborted, Doom, Conan, Jucifer, etc.). Em Beja repete-se o sucesso do Santa Maria Summer Fest, ou SMSF, em novo espaço da cidade, estando já confirmados os nomes de Rotting Christ e Bizarra Locomotiva, entre outros.

Se as tuas tendências de hard’n’heavy puxam mais aos psicotrópicos, não faltam soluções em Portugal. O gigante Reverence Valada já nos contou que vão trazer Killing Joke à cabeça, o Lisbon Psych Fest volta ao Teatro do Bairro com Gnod e The Underground Youth e o Sound Bay Fest dá-nos Bang e Church of Misery. Já em Moledo do Minho, no SonicBlast, soube-se mesmo a fechar o ano das presenças de Windhand e Spelljammer. No Amplifest há finalmente Neurosis em estreia nacional.

Por fim, e claro que se a resolução de novo ano pedir uma passagem fora de portas, o Resurrection Fest é já aqui mesmo ao lado – quer dizer, em cima – na Galiza e trazem-“nos” também The Offspring, Bring Me The Horizon, Enslaved, Municipal Waste, Amenra, Tesseract, Thy Art Is Murder, Norma Jean, entre muitos outros. Também ouvimos dizer que o holandês Roadburn Festival está demolidor, mas esse é um pouco mais longe.

Leave a Reply

Your email address will not be published.