vandenplasEste álbum é, de longe, o lançamento mais esperado de 2015… pelo menos para mim. Os lendários mestres do metal progressivo regressam com a segunda parte do excelentíssimo Chronicles Of The Immortals. Encerra-se o ciclo de decisões e de dúvida. Qual dos caminhos escolher? O Bem ou o Mal, o Paraíso ou o Reino das Trevas, o Céu ou o Inferno? O segundo disco responde à pergunta, deixando sempre espaço à interpretação do ouvinte. Chronicles Of The Immortals: Netherworld II continua com a mesma direcção musical com a grandiosa opera rock em que os Vanden Plas são os únicos enormíssimos mestres.

Após uma conclusão inesperada com o crescimento do Mal e dos planos do Deus do Mal a terem cada vez mais força e a parecerem mais dominantes, esta segunda parte surge como uma solução para todos os males. No entanto, a solução pode colocar em risco a vida de Andrej Delãny, personagem principal da história, que começa a duvidar da sua imortalidade e do seu propósito. Da escuridão e das trevas do Mal, ele consegue arranjar forças para lutar e salvar o seu filho das forças do Mal, que serve como simbolismo para salvar todas as “crianças perdidas” e todas as almas que ainda podem ser salvas para o Bem. A morte de Andrej ou o seu desaparecimento para o abismo pode vir a tornar-se a salvação dele, tirando-o de uma “imortalidade” indesejada que lhe traz mais sofrimento e amarguras.

Wolfgang Hohlbein tem em Vanden Plas os intérpretes perfeitos para a sua história, “Die Chronik der Unsterblichen”, transformando a sua obra literária numa excelente ópera rock que nesta segunda parte teve mais representação do metal progressivo. Não só conceptualmente é perfeito, como todos os pormenores técnicos parecem ter melhorado. A voz de Andy Kuntz, de longe a alma da banda, provoca um certo sentimento que obriga o ouvinte a prestar atenção a cada uma das suas notas vocais. Os fãs não podem ficar desiludidos com uma continuação tão espectacular de uma saga que, apesar de complexa, sofistica toda a indústria musical, enriquecendo o género e a discografia de uma banda que continua sempre a surpreender-me.

Autor: João Braga

 

Este álbum é, de longe, o lançamento mais esperado de 2015... pelo menos para mim. Os lendários mestres do metal progressivo regressam com a segunda parte do excelentíssimo Chronicles Of The Immortals. Encerra-se o ciclo de decisões e de dúvida. Qual dos caminhos escolher? O Bem ou o Mal, o Paraíso ou o Reino das Trevas, o Céu ou o Inferno? O segundo disco responde à pergunta, deixando sempre espaço à interpretação do ouvinte. Chronicles Of The Immortals: Netherworld II continua com a mesma direcção musical com a grandiosa opera rock em que os Vanden Plas são os únicos enormíssimos…
Os fãs não podem ficar desiludidos com uma continuação tão espectacular de uma saga que, apesar de complexa, sofistica toda a indústria musical, enriquecendo o género e a discografia de uma banda que continua sempre a surpreender-me.

Álbum. Frontiers Music Srl. 06/11/2015

Classificação/Rating

9.4

Os fãs não podem ficar desiludidos com uma continuação tão espectacular de uma saga que, apesar de complexa, sofistica toda a indústria musical, enriquecendo o género e a discografia de uma banda que continua sempre a surpreender-me.

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.