Se estás em Julho e queres entrar em modo férias com música incluída, provavelmente já conheces o Milhões de Festa. Se ainda não, devias. Mas uma pequena contextualização ajuda sempre, não é?

Antes de lá chegar, recordamos que o Milhões de Festa 2015 acontece de 23 a 26 de Julho no Parque Fluvial de Barcelos. O passe geral custa 69,99 euros e o bilhete diário fixa-se nos 30 euros. Consulta mais informações, aqui.

O Milhões de Festa requer que tenhas milhões de atenção a partir deste ponto do texto. Milhões de Festa é ir a um festival curtir «milhões» de géneros musicais, utilizar a palavra «milhões» como vírgula (se bem que no Norte as vírgulas começam pela letra ‘F’), fazer vénias ao polígono supremo «milhionário» e deixar os stresses e os problemas em casa – uma espécie de hakuna matata triangular, portanto.

O Milhões deve ser aquilo que precisas caso estejas saturado do teu trabalho mal remunerado e tens uns dias de férias para tirar ou caso estejas de cabeça cheia depois de uma época de exames na faculdade. Esses podem ser os teus motivos para comparecer, mas o festival também oferece os seus.

Piscina 

Sim. É possível sequer falar no Milhões de Festa sem um dos seus principais atractivos? Com o calor a apertar – pelo menos este Verão promete mais nesse sentido do que no ano passado – e a tão escassos dias de Agosto, é natural que seja imperativo encontrar uma forma de se refrescar. Em muitos festivais a única forma é procurar o bar mais próximo, mas em Barcelos há uma solução mais divertida. E com concertos mesmo ali à beira. Se calhar está na altura de procurares a tua bóia para te deitares sob a água.

23

Ginga Beat na piscina 

Pronto, que a piscina é um dos grandes motivos para ir ao Milhões de Festa já está entendido. Mas o que é que se poderá ouvir aqui? Pois. O Milhões de Festa 2015 conta com a curadoria da Red Bull Music Academy Radio para transformar a área da piscina na zona mais «gingável» do festival. Este palco contará com nomes como Matias Aguayo, Chancha Via Circuito, TOCHAPESTANA, Branko, Al Lover e ainda a pedalada dos Pista. Portanto, deixar o jogo de cintura na tenda será um erro.

A influência de Anthony Chalmers 

Ok, se calhar este nome é-te estranho. Porém, é das mãos da Baba Yaga’s Hut que chegam ao cartaz do Milhões nomes como The Cosmic Dead, Hey Colossus ou Gum Takes Tooth. Com eles vem Anthony Chalmers, promotor e radialista londrino na NTS live e Ressonance, para um DJ set inteiramente imprevisível, com escolhas ilimitadas entre géneros. Um bocado como a imagem do Milhões de Festa. Será uma boa forma de introduzir o espírito «milhionário» logo no primeiro dia.

Sem barreiras entre géneros 

Queres ler este artigo e sair daqui para explicar aos teus amigos de que tipo de música, afinal, é o Milhões de Festa? Infelizmente não te vamos facilitar a resposta. O Milhões não olha a barreiras e fronteiras entre géneros e é provavelmente o festival com mais limpa-palatos em Portugal. O que isto quer dizer é que podes estar a curtir o grind dos nacionais Raw Decimating Brutality (RDB), dos brasileiros Test ou dos norte-americanos Hemdale e no mesmo dia levar com as cumbias e o reggaeton de La Flama Blanca. Qual é o mal? Nenhum.

A presença de notáveis 

Provavelmente não sabes que Daniel O’Sullivan, multi-instrumentista inglês presente em bandas como Ulver, Mothlite, Æthenor, Miracle e Guapo, faz parte de Grumbling Fur, banda que irá abrir o Palco Milhões num dos dias. Também não deves saber que Paul Allen, dos The Heads, toca com os Anthroprophh e que Mike Vest, guitarrista de Bong e 11Paranoias, faz parte de Drunk In Hell. Uma boa prova de que, mesmo por vezes não conhecendo os nomes que irão actuar, se pode estar perante músicos consagrados por outras bandas. E claro, Michael Rother para tocar o material dos seus NEU!, mas esse dispensa apresentações.

Vê hoje as bandas de amanhã 

Algo que o Milhões já conseguiu proporcionar e pode voltar a acontecer é permitir que vejas hoje, num ambiente descontraído e sem pisadelas e histerismo, as bandas que amanhã irão motivar milhares a ir a um festival ou a encher uma das maiores salas do país. Já aconteceu com alt-J, com Toro Y Moi ou Crystal Fighters, e pode voltar a acontecer. Mesmo sendo difícil de prever, há palpites que podem vir a resultar: a pop dos All We Are, o ritmo ácido de Peaking Lights, o rock psicadélico de The Holydrug Couple e ainda The Bug, segredo guardado dos holofotes desde os anos 90 mas que já anda a receber as merecidas atenções em festivais como o de Glastonbury e Sonar.

Ser tropical não é só bananas e ananases 

Caiu no goto curtir sets e concertos de música mais dada a ritmos tropicais, seja através de cumbia ou de rock mais festivo e latino – como o caso passado dos já mencionados Crystal Fighters e El Guincho, e o deste ano de Meridian Brothers. Mas mesmo que seja mais difícil de associar, há mais música associada aos trópicos. Para 2015 o Milhões de Festa propõe Islam Chipsy, cabecilha de festas e responsável pela música de casamentos no Médio Oriente, o electro chaabi de Cairo Liberation Front e ainda os dançantes The Paradise Bangkok International Molam Band. Festa garantida.

Portugal aos portugueses 

No meio de tanta riqueza cultural vinda de todos os cantos do mundo, o Milhões também dá valor àquilo que se faz dentro de portas, seja através de bandas que andam nisto há já vários anos ou as que ainda não sopraram um par de velas, com especial destaque para as bandas que a promotora Lovers & Lollypops também edita. Entre os principais atractivos nacionais estão nomes como os cativos Riding Pânico, HHY & The Macumbas, Plus Ultra, Cave Story, dreamweapon, MEDEIROS/LUCAS, The Sunflowers, Toulouse, Éme, entre outros.

Autor: Nuno Bernardo
Fotografias: Carolina Neves

Leave a Reply

Your email address will not be published.