A controvérsia e a má língua ganham horizontes políticos com o disco de estreia dos Quinteto Explosivo – um novo grupo que junta membros de Comme Restus, Kalashnikov, Homens da Luta e Noidz e uma vontade intrínseca em colar as personagens ao corpo.

Hinos Politicamente Incorrectos parece ter surgido da noite para o dia, disco de 17 agressões lançado pela Ragingplanet no último trimestre de 2014, e cada faixa é sim uma ensaboadela no português formal e um enxovalhamento da sociedade, das políticas e da moral do nosso país. António Guterres, voz da banda, analisa o próprio álbum, num faixa-a-faixa politicamente incorrecto.

#01P’ró Caralho, Filhos da Puta” – «Esta faixa é Pink Floyd. Mas sem o Phill Collins a estragar tudo na voz… Muita gente tem usado esta música da forma errada, usam-na na culinária, está profundamente errado. Acho que as pessoas não entenderam este tema, mas ao mesmo tempo ele fala por si e assim sucessivamente. Tem um bocado de Rick Wakeman nas teclas e de Youtube nos lasers.»

#02 “Chupa Cabrão” – «Nesta música fomos descaradamente roubados pelo David Bowie, na qual os nossos advogados já estão em conversações acerca do riff inicial e que faz parte da música. Acho mal. No entanto a insistência no léxico “cabrão” pode definir este tema como abstracto, não é dedicado a ninguém em especial e também não é. A Culturgest pagou-nos este tema. Está exposto no Palácio de Cristal no Porto a comer uma francesinha e a beber uma cola.»

#03Cona, Cona, Cona, Cona, Cona” – «Este tema surgiu mesmo antes de nascermos enquanto pessoas, todos passamos por lá, é inevitável como o destino e como um gajo ir à casa de banho cagar e salpicar sempre um bocado o rabo. Já vos aconteceu também? Tanta invenção, ida à Lua e ainda não se resolveu este problema. Podiam levar isto ao Sharktank, apresentado pelo Rei Ghob.»

#04Fado, Futebol e Fátima Foda-se!” – «Recuso-me a falar deste tema. Vou já analisar o próximo mas dentro ainda deste tema. Vou tirá-lo do CD, vou riscar com a unha, estou arrependido de o ter metido na k7, passem à frente, não se aproveita nem um bocadinho, parece o “Ídolos”.»

#05Super Caralhão Atómico (No Teu Cu)” – «Este tema é a sério. É uma música que fiz quando estava a comer 4 gajas ao mesmo tempo, é mentira, nunca comi sequer 2 gajas na minha vida. É um bocado isso, e vice-versa, é um novo talento, é um remix de um DJ, é um bocado duro este tema – sem graçolas, se faz favor.»

#06Eu, Tu o Meu Caralho e o Teu Cu” – «Este tema visa uma proposta simples e facilitadora enquanto comunicação bidireccional. Facilitava tudo, poupava muito dinheiro se pudéssemos chegar ao pé de uma gaja com um cartão de visita destes. Porque é que andamos com aquelas burocracias chatas e protocolos? Uma chatice. O nosso advogado também já entrou em contacto com o Mike Patton, que por sua vez entrou em contacto com o advogado morto da Carmen Miranda, e assim sucessivamente.»

Quinteto Explosivo

#07Queres Caralho, Vai ao Talho” – «Mais um tema facilitador, temos uma proposta, uma solução, rápida e indolor. Dentro das artes por vezes são necessárias bengalas e bordões linguísticos de modo a conseguir passar uma corrente nova. Lembro-me que neste tema ainda tinha o cabo do microfone mal ligado, facilitou-me imenso o dia. As pessoas gostam deste tema,  é dos que menos gostamos, a tendência vai ser para o fazer desaparecer, ou então vai ficar para aquelas bandas que tocam Nirvana, Pearl Jam, Korn, Deftones, Slipknot e Delfins.»

#08Sempre que te Vejo Dá-me Vontade de Vomitar” – «Isto é o que acontece às pessoas quando me vêm. Se calhar são boas pessoas, se calhar sou boa pessoa. Tem um falsete inspirado em Queen, era “A Night at The Opera”, e penso que o Freddie também se inspirou muito em nós durante os seus melhores anos de vida. Não me lembro de mais nada acerca desta música, nem me lembro de como surgiu, mas depois faço um post no Facebook desta entrevista quando me lembrar, caralho.»

#09Cabrão” – «O nosso advogado já está em contacto com o advogado dos Napalm Death. Uma coisa é seres o Tony e copiares, outra cena é copiarem-te lá de fora, pensam que isto é o quê? Parece a loja da Joana.»

#10Cabrão” – «O que é que esta merda faz aqui outra vez?»

#11És Uma Puta do Caralho” – «Esta música surgiu quando nos inscrevemos no Hot Club em Lisboa, mas depois viram o nosso nível, deram-nos o diploma e saímos no dia a seguir. O nosso advogado também já entrou em contacto com os Queens of the Stone Age, larápios de meia leca, queriam eles. Tenham cuidado que há toda uma geração de bandas estrangeiras a roubar-nos. Basicamente este disco é todo um grande processo judicial que vai durar 20 anos e vai ficar em preventiva em Évora durante 6 meses com pulgas nas pernas.»

#12Granda Merda” – «Este tema foi captado ao vivo no Sudoeste do ano passado quando actuámos lá com o DJ Rui Remix em cima de uns andaimes com um painel de leds com strobs. Foi o nosso maior sucesso. Granda má onda!»

#13Puta Javarda” – «Não me lembro desta música.»

#14Goucha” – «Esta música também foi captada ao vivo no Sudoeste do ano passado, foi o Rui Remix e o Helder o Rei do Kuduro que nos fizeram o beat desta malha, o Bonga cantou e assim conseguimos juntar 5 continentes e influências numa só faixa.»

#15Tu Levas no Cu” – «Curto esta malha. É nossa?»

#16Cabrão” – «Esta malha vai aparecer em todos os discos, é só para vos avisar.»

#17Portugal, Portugal és Atrasado Mental” – «Se fosse antigamente, eram logo presos por causa desta música. Chamar uma coisa destas ao país, por mim era mandá-los logo para o Tarrafal. O nosso advogado também já está em contacto com o advogado dos Ena Pá 2000. Por acaso vocês têm advogado? Se não têm é melhor arranjar, caralho.»

Entrevista: Nuno Bernardo

Leave a Reply

Your email address will not be published.