Dois discos bem distintos de duas bandas com percursos muito diferentes, e estilos algo díspares. Apesar de serem dois fortes representantes do rock progressivo, a verdade é que tinham raízes e estilos diferentes, com abordagens muito distintas.

Captain Beyond – 1973 – Sufficiently Breathless

Este é o segundo e penúltimo álbum de estúdio dos Captain Beyond, e aponta uma mudança de estilo na música do grupo. Um grupo que era quase um super-grupo composto por ex-membros dos Deep Purple, Johnny Winter e Iron Butterfly, na formação original.

Sufficiently Breathless apresenta um som bem menos psicadélico e tóxico do que o seu disco de estreia, esse muito mais rápido, tóxico e eléctrico. Este segundo lançamento de estúdio é, predominantemente, dominado pelo jazz fusion com um ambiance bem mais suave e calmo.

Lista de faixas para Sufficiently Breathless:

01. Sufficiently BreathlessCaptain_Beyond_-_Sufficiently_Breathless
02. Bright Blue Tango
03. Drifting in Space
04. Evil Men
05. Starglow Energy
06. Distant Sun
07. Voyages of Past Travellers
08. Everything’s A Circle

Uma parte dos fãs acérrimos da banda têm este álbum como preferencial, pois apesar de apresentar uma vertente menos tóxica do grupo, este disco consegue acrescentar algo mais à identidade da banda e mesmo assim demonstrar um lado mais ‘acústico’ e complexo instrumentalmente.

Não é um álbum conceptual, nem o anterior, mas existe um conceito livre de liberdade e de “viagem pelo espaço”, fruto de uma década com menos restrições e mais liberdade espiritual. Sufficiently Breathless apresenta mais instrumentos, seja de percussão,  cordas ou teclas, o que acrescenta uma enorme mais-valia num disco, já de si, rico em criatividade.

Destaco as faixas: “Bright Blue Tango”, “Drifting in Space”, “Starglow Energy” e “Distant Sun”.

Captain Beyond – Sufficiently Breathless (álbum na íntegra)

Procol Harum – 1975 – Procol’s Ninth

É, como diz o nome do disco, o nono lançamento de originais do lendário e pioneiro grupo de rock progressivo e sinfónico, Procol Harum. Com este álbum, o grupo consegue continuar o excelente trabalho que o seu antecessor de 1974, Exotic Birds And Fruit. A banda consegue prolongar a melhor fase da sua carreira até o próximo disco, Something Magic, altura em que interrompem actividades.

Lista de faixas para Procol’s Ninth:

01. Pandora’s BoxProcol_Harum_Ninth
02. Fool’s Gold
03. Taking the Time
04. The Unquiet Zone
05. The Final Thrust
06. I Keep Forgetting
07. Without a Doubt
08. The Piper’s Tune
09. Typewriter Torment
10. Eight Days a Week

Apesar de não ter tido a mesma recepção que anteriores discos como Procol Harum, A Salty Dog e Grand Hotel, por exemplo, conseguiu ainda assim ter uma opinião favorável por parte dos fãs e crítica profissional. No entanto, é ainda actualmente um disco relativamente injustiçado, já que não apresenta a energia e electricidade de álbuns como Shine On Brightly e Home, que são e foram recebidos de braços mais abertos.

Este é um disco bastante bem produzido, como Grand Hotel ou Exotic Birds And Fruit, e é sem dúvida muito mais consistente e “linear”, já que o estilo e tom não variam significativamente. A disposição é bem mais descontraída quando comparado com outros discos, mais emocionais e espiritualmente mais deprimentes. Em alguns lançamentos são lançados os bónus instrumentais “Adagio Di Albinoni” e “Blue Danube”. A destacar: “Pandora’s Box”, “Fool’s Gold”, “The Unquiet Zone”, “The Final Thrust” e “Eight Days a Week”.

Procol Harum – Procol’s Ninth (álbum na íntegra)

// João Braga

Leave a Reply

Your email address will not be published.