LUFTSCHUTZ001Rita CiprianoJordansfrost Sonne Hagal

Foi em 2008 que os Sonne Hagal lançaram o seu último álbum, Jordansfrost. Especula-se muito, sonha-se ainda mais, sobre quando a banda irá lançar o seu sucessor, mas até agora nada. Nem sinais. Resta pois agarrarmo-nos ao que temos. Felizmente para nós, este Jordansfrost vale por muitos, não fosse já um álbum “clássico” dentro do Neofolk. Esta semana foi assim – revisitei-o, a ele e ao meu amor pelo Neofolk Germânico, a onde, de resto, volto sempre.

Para ouvir: Sonne Hagal – “Vengeance”

FrontNuno BernardoMeddlePink Floyd

Era 1971 e os Pink Floyd, depois de superada a fase Syd Barrett, viam-se emergidos numa nova era da sua ainda curta história. Se Atom Heart Mother já fazia suspeitar a aposta em faixas longas e épicas, este Meddle confirmou-o com “Echoes” – esta composição sobrenatural, que compõe todo o lado B do LP, ajudou a desbravar os caminhos que os Pink Floyd percorreram na fase mais célebre da sua carreira. Vale por metade do Meddle, mas também há a fantástica “One Of These Days” logo a abrir.

Para ouvir: Pink Floyd – “Echoes”

Opeth_Pale_Communion_album_artworkDavid MatosPale CommunionOpeth

O polémico Heritage marcou o início de uma nova era nos Opeth, sem gutural e sem Metal, com Rock Progressivo psicadélico em vez disso. Depois do choque inicial e indignação dos puristas, a banda regressa com Pale Communion. Desta feita, a fórmula usada resulta melhor, situando-se algures entre o Heritage e o Damnation. Os temas fluem naturalmente (à exceção da bizarra “Goblin”), têm momentos magníficos e são mais fáceis de digerir. É um passo em frente, mas ainda longe de ser uma masterpiece.

Para ouvir: Opeth – “Eternal Rains”

João “Trash Can Spinner” Vinagre

Por motivos de força maior, João Vinagre não pôde participar na Playlist desta semana. Foi pontapear caixotes para Espanha. As nossas preces vão para ele.

Leave a Reply

Your email address will not be published.