Quatro anos se passaram desde o muito aclamado “Make Friends And Enemies”. A curiosidade aguçava-se à medida que musicas como ‘Feed The Caskets’ e ‘Heist’ chegavam até nós, mas foi só há cerca de duas semanas antes dos concertos de apresentação do álbum que pudemos finalmente ouvir na íntegra o tão esperado “Vol.5 Lost At Home”. Foi na República da Música, no passado dia 28 de Fevereiro, que os More Than A Thousand, juntamente com Bury Tomorrow e Cosmogon, deram o primeiro concerto desta digressão. Os fãs foram-se juntando à porta da sala e a fila já ia grande quando as portas se abriram, com um ligeiro atraso.

Pelas 21h30 já se ouviam os primeiros riffs de Cosmogon, banda natural de Luxemburgo e que acompanhou More Than A Thousand o ano passado na tour europeia de Adept. Formados apenas em 2011, ainda não têm nada oficial lançado mas, apesar de terem um longo caminho pela frente, já têm uma sonoridade bastante vincada, com influências que vão desde o Death Metal ao Doom e Stoner. Apesar de ser uma noite marcada pelo Metalcore, os Cosmogon foram muito bem recebidos pelo público e ainda mostraram que sabiam falar um pouco português, com muitas palavras de agradecimento, provavelmente devido ao facto do baixista ter raízes portuguesas.

Depois da habitual pausa que dá para ir buscar uma cerveja e ter dois dedos de conversa, os Bury Tomorrow entraram sem rodeios e levaram o público ao rubro em menos de 2 segundos. ‘Lionheart’ foi o tema de abertura e deu lugar imediatamente ao habitual mosh. Notou-se que o público português estava bastante familiarizado com a banda britânica, já que na maioria dos refrões se ouviam as letras entoadas por grande parte da plateia. A multidão também respondia sempre afirmativamente aos circle pits que o vocalista, Dani Winter-Barnes, ia incitando. As pulsações estavam bastante aceleradas e o calor na sala ia aumentando, tema após tema. Do novo álbum, que tem data de lançamento marcada para 26 de Maio, ouvimos ‘Watcher’ e também ‘Man On fire’, cujo videoclip saiu esta semana. A ‘You & I’, tema do álbum “Portraits”, fez as delícias do público, que se embrenhou em moshes e ainda, a pedido de Dani, ficou de joelhos para saltar quando este contasse até 3, ao estilo do jumpdafuckup de Slipknot. ‘Royal Blood’, tema do último álbum, pôs o término à actuação, que por ser curta, deixou o público a ansiar por mais. Definitivamente, estes jovens britânicos mostraram como se faz um bom concerto de metalcore.

1.Lionheart
2.An Honourable Reign
3.Watcher
4.Knight Life
5.You & I
6.Man On Fire
7.Royal Blood

O sangue já fervia e a espera parecia estar a ser demasiado longa. Um falso alarme com a intro de ‘Feed The Caskets’ a soar pela sala deixou o público ansioso, mas no palco ainda se faziam as ultimas afinações. Pouco depois as luzes apagaram-se e os More Than A Thousand surgem finalmente. «I can’t fall asleep, my life is upside down!» – gritou Vasco Ramos quando entrou em palco, e o público gritou com ele, mostrando saber a letra de cor de “Fight Your Demons”, tema do novo álbum. Escusado será dizer que assim foi durante concerto inteiro, mesmo as letras dos temas mais recentes já estavam na ponta da língua. Depois do novíssimo ‘I Am The Anchor’ seguiram-se 3 temas do anterior “Make Friends And Enemies” e assim foi a setlist, intercalada entre os temas do último álbum com as do mais recente.

Os mais corajosos iam fazendo crowdsurfing, enquanto o resto ficava pelos moshes e com os pés em terra – quando era possível – já que as oportunidades para saltar eram muitas. Notou-se também a crescente legião de fãs que os More Than a Thousand têm vindo a adquirir, muitos rostos jovens, o que se confirmou quando Vasco perguntou quem estava a vê-los pela primeira vez, e dezenas de mãos se ergueram no ar. Sinal que a banda está definitivamente a crescer e que, tanto cá dentro como lá fora, está a ser finalmente reconhecida pelo excelente trabalho que têm feito desde 2000.

Quase na recta final, momento para descansar um pouco e respirar, com ‘Midnight Calls’ e ‘In Loving Memory (Life Flashes)’ ambas tocadas em acústico por Vasco Ramos e Sérgio Sousa. Mas como o concerto não podia acabar num momento meio zen, seguiram-se as últimas malhas, ‘Roadsick’, ‘Make Friends And Enemies’ e ‘No Bad Blood’ para fechar a noite. Apesar do calor e do cansaço, o público ainda queria mais, mas fica a expectativa de ouvir novos temas num concerto futuro, que esperamos ser para breve.

1.Fight Your Demons
2.I’m The Anchor
3.It’s Alive
4.First Bite
5.We Wrote A Song About You
6.Feed The Caskets
7.The Heist
8.Lost At Home
9.Nothing But Mistakes
10.Black Hearts
11.Midnight Calls/In Loving Memory (em acústico)
12.Roadsick
13.Make Friends And Enemies
14.No Bad Blood

Fotografia: Tomás Lisboa
Texto: Rute Pascoal

Leave a Reply

Your email address will not be published.