Vinte e uma horas. O Grande Auditório do Centro Cultural de Belém prepara-se para receber um inigualável senhor do panorama musical luso. Casa cheia.

Entra Jorge Palma, igual a si mesmo tal Lou Reed – paz à sua alma – português mas com mais carisma. Inicia-se então um concerto dotado de um intimismo invejável onde a cada música o Jorge dialogava com o público como se de uma mera tertúlia se tratasse.

Logo após a Valsa de Um Homem Carente já o público estava em êxtase. Continua a tocar as suas músicas que são sobejamente conhecidas pelo público que faz o seu propósito acompanhar o artista cantando ao seu ritmo.

A cada música Jorge lamenta-se que o queria mesmo era um cinzeiro e uma cerveja, excentricidades a que Palma já nos habituou. Não tardou muito que os lamentos passassem à acção e após a Estrela do Mar, pára o concerto e dirige-se ao backstage. Sucesso! Apareceu já munido de uma garrafa do néctar que tanto ansiava. O público mantinha-se correcto, sem julgamentos ou juízos de valor.

Brinda logo a seguir o público pela sua espera com Frágil, numa atuação frenética da música que levou o CCB ao rubro!

Após interpretar Encosta-te a mim, entra em cena o seu convidado, Fernando Tordo. Tordo (ou Fernando Travesso como lhe chama Palma) velho amigo do Jorge Manuel entra munido de uma charango a que ele carinhosamente apelida de “Instrumento Gravata” e partilha alguns sentimentos com o público antes de se dedicar a cantar uma versão do Dormia tão Sossegada.

Após o merecido tributo por parte de Tordo soa no público um trompete, começa a Tourada!

Cumprimentam-se com um abraço sentido e palavras de apreço. É visível o amor fraterno que nutrem entre si. É feita a sua despedida de palco com uma ovação em pé. Merecida.

Palma continua com a sua actuação enquanto o público grita palavras de apreço e pede músicas como se de um programa de rádio de discos pedidos se tratasse.

Já no encore ele finalmente responde a um elemento do público que havia passado o concerto todo a gritar ocasionalmente “Quero o meu Dinheiro de Volta!”. Com o seu estilo Jorge responde-lhe que noutras ocasiões até o podia merecer mas que hoje não. Que hoje se tinha portado bem. Sem dúvidas que sim!

Foram três músicas de encore, entre elas a Quero o Meu Dinheiro de Volta, pedido realizado.

Após duas horas e vinte de um magnífico evento musical Jorge Palma é ovacionado de pé por vários minutos, demonstração de puro e verdadeiro apreço que o público sente pelo artista.

Em suma, mais de duas horas de música, duas ovações de pé e um público completamente extasiado. Devo ter ido a dezenas de concertos neste ano que já está findo e este figura-se entre os melhores cinco que tive o prazer de assistir.

Resta-me agradecer eu meu nome e em nome da Ruído Sonoro a excelente atuação de Jorge Palma e extender o agradecimento à 100% Booking pela oportunidade de se realizar esta reportagem de um concerto único!

Texto e Fotografia: Sílvio Jesus

Leave a Reply

Your email address will not be published.