Foi uma noite de magia no CCB no dia 09 de Dezembro, quando se celebraram 20 anos de carreira dos Ala dos Namorados, num concerto que foi realmente uma intimista festa de anos cheia de calor humano entre o palco e a plateia. O mote foi dado por “Razão de Ser”, mais recente álbum dos Ala, um reencontrar da banda com o seu historial, repensado para o acompanhamento com nomes tão incontornáveis quanto Carlos do Carmo, Jorge Palma, Susana Félix ou Rão Kyao.

Agora em palco, a experiência adquiriria toda uma nova dimensão, porque os anos passam mas há músicas que não ficam para trás. E foi assim, um pouco depois das nove da noite, que no CCB se apagaram as luzes e um raio de ouro luminoso incidiu sobre Nuno Guerreiro para o início de uma celebração da voz.

Jorge Benvinda, dos excelentes Virgem Suta, foi o primeiro a subir ao palco que veria ainda Jorge Palma e Luanda Cozetti cantarem “Loucos de Lisboa”. Contudo entre os grandes momentos não podemos deixar de destacar com particular satisfação a idiossincrática presença em palco de Rui Pregal da Cunha e, ainda mais, o energético dueto entre Nuno Guerreiro e Raquel Tavares, em “História do Zé Passarinho”. Tremenda presença em palco de Raquel, com todo o carisma e atitude que o tema merece.

Pelo meio, Guerreiro fez questão de dizer ao público “é tão bom estar aqui com vocês”, e a plateia retribuiu a gentileza em aplausos que jamais se esgotaram. Viviam-se realmente momentos intimistas, e as trocas de palavras sucediam-se num concerto muito profissional, mas impregnado de uma atmosfera relaxada e morna que afastava o frio gélido que se fazia sentir no interior. Eram muitos rostos que não se conheciam, com certeza, mas entre eles tinham todos o amigo comum da música Portuguesa.

Carlos do Carmo, Dany Silva e Rão Kyao, Shout!, Susana Félix, António Zambujo e Pacman também tiveram os seus momentos em palco, este último interpretando “Razão de Ser” e não deixando de louvar a noite que os músicos estavam a oferecer a um público deliciado. Desses, Manuel Paulo disse com toda a justiça: “todos somos os Ala dos Namorados”.

Foi em apoteose que o espectáculo terminou, com uma ovação em pé a mostrar a todos que apesar dos cinco anos de ausência os Ala dos Namorados continuam no coração e nas memórias musicais dum público fiel que aguarda expectante o seu próximo álbum.

E felizmente já não falta muito: 2014 deverá ver o lançamento de um novo trabalho de originais.

Até lá, os nossos agradecimentos à 100% Booking pela possibilidade desta reportagem.

Texto e Fotografia: Marco Trigo

Leave a Reply

Your email address will not be published.