A ameaça de chuva parece ter amedrontado algumas pessoas que provavelmente devem ter preferido o sofá aos estrondosos concertos que a República da Música assistiu na passada sexta-feira. Bem, o azar foi delas porque aposto que nenhum dos presentes se deve ter arrependido!

A começar tivemos The Temple, uma banda nacional que conta já com 20 anos de trabalho e que teve no seu segundo álbum Diesel Dog Sound as participações especiais de Zé Pedro (XUTOS E PONTAPÉS) e de Fernando Ribeiro (MOONSPELL).  A sua música define-se como Rock, uma atitude Punk e um carácter Heavy Metal, e foi exactamente dentro destes parâmetros que podemos classificar o seu concerto: extremo, pesado e com muita potência. O reportório foi variado, desde temas mais antigos como “War is Poison”, do seu primeiro EP – 999, ou “Shoot me” do álbum The Angel, The Demon & The Machine. A acabar, já se esperava a famosa “Millionaire” do segundo álbum Diesel Dog Sound.

Depois de uma curta pausa, é a vez dos W.A.K.O pisarem o palco. Já é habitual o vocalista Nuno Rodrigues entrar de mansinho, o que torna sempre difícil de acreditar, principalmente para quem vê pela primeira vez, que é mesmo dele que está a sair aquela voz, ou melhor, aquele vozeirão! Com 10 anos de carreira celebrados há poucos meses atrás, esta banda de Almeirim nem precisa de apresentações. Conseguem sempre surpreender pela positiva em todos os concertos que dão e a sua constante interação com o público é já um cartão de visita. Começando com “The Shape of Perfection”, música do último álbum The Road of Awareness, o público a pouco e pouco vai-se chegando mais perto do palco e começa a entrar no clima. As tentativas de mosh foram algumas mas infelizmente não muito bem sucedidas, o que é de lamentar devido a toda aquela energia em palco que claramente pedia mais envolvimento do público. Com um pouco mais de garra, foram entoadas algumas das músicas old school do álbum Deconstructive Essence como “Eternal Spiral” e “Abyss”, intercaladas com as mais recentes “Ship of Fools” e “Extispicium”,  terminando com a “Coronation of Existence”.

Para acabar a noite em grande, sobem então ao palco os britânicos Breed 77, que nos vieram apresentar o seu mais recente trabalho “The Evil Inside”. Com uma sólida carreira desde 1996, já contam com 6 álbuns de originais e uma vasta lista de concertos ao lado de nomes como Black Sabbath ou Machine Head. Com temas como o conhecido single “Bring on the Rain”, o grupo presenteou-nos com a sua fusão única de Metal Alternativo com Flamengo e apesar da sala não estar muito composta, o clima estava bastante agradável, afinal, não é à toa que o público português é conhecido por ser caloroso e mesmo com poucos se faz a festa. Um dos momentos altos da noite foi sem dúvida a cover da música “Zombie” dos Cramberries, que libertou energias pelo público e teve o refrão entoado por todos os presentes na sala. É também de salientar a excelente prestação de Rui Lopez, nosso vocalista nacional que foi convidado a fazer esta tour de verão devido à saída de Paul Isola por questões pessoais.

Texto: Rute Pascoal
Fotografia: Diogo Oliveira

Leave a Reply

Your email address will not be published.