Embora a tarde de Domingo se apresentasse apelativa para ser passada na praia ou na piscina, para alguns o punk rock falou mais alto. Embora com um ligeiro atraso (que cada vez mais se torna habitual nas matines, talvez devido ao facto de o público fazer por chegar só à hora do cabeça de cartaz), a tarde/noite de Domingo não deixou ninguém insatisfeito.

A primeira banda a tocar foram os Answers Within, constituídos por alguns membros da banda que tocou no dia anterior, Death Will Come.Os rapazes deram um concerto descontraído e supreendente, com o seu punk rock melódico. E nada combina tão bem com este conjunto de palavras como The Ataris. “In this Diary” foi o cover escolhidos pelos jovens portuenses, e que bem escolhido!

De seguida os Defying Control subiram ao palco. A banda tocou um som que por umas vezes lembrava rock de arena e por outras punk rock bem construído com uma bateria bastante completa (talvez até de mais por vezes). Os Defying Control mencionaram ainda que se encontram em pré-produção, prometendo novidades para breve.

Depois chegou a altura dos Twelve 2 Go lançarem o seu tão aguardado álbum! Um conjunto de fãs com camisolas da banda (que no final da noite nos pareceram quase esgotadas, bem como as de Comeback Kid no dia anterior e as de A Wilhelm Scream, que se esgotaram a meio da tour) juntaram se nas primeiras filas e fizeram a festa. A banda tocou temas novos bastante interessantes, especialmente a “Not everyone is a Paul Mccartney”, mostrando uma clara evolução desde a última vez que os vimos, a abrir para os lendários No Use for a Name.

Quando os A Wilhelm Scream tomaram o palco o relógio já passava das 9h, mas isso em nada impediu a euforia que explodiu logo ao primeiro tema. A banda abriu o concerto com “The King is Dead” e “I Wipe My Ass With Showbiz”. O vocalista Nuno Pereira, revelou ter raízes portuguesas e falou português ao longo do concerto. Pouco depois revelou também que era o seu aniversário e que o seu pai, que não via há bastante tempo estava na plateia a ver o concerto. Os parabéns cantaram-se duas vezes, acompanhados por um bolo durante a segunda. A banda tocou todos os clássicos, demostrando que o punk rock está bem vivo.

Resta agradecer mais uma vez à Xuxa Jurássica, que tem feito um excelente trabalho a manter o Punk e o Hardcore vivos em Portugal!

 

Texto por: Manuel Casanova

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.