Foi no mesmo lugar, no mesmo piano, que Charles Sangnoir apresentou o seu mais recente álbum, Macumba Stereo. Há semelhança do que aconteceu o ano passado, o espaço escolhido foi o do Museu da Música em Lisboa, lugar que acolheu amigos e fãs para ouvir aquele que será o derradeiro lançamento de La Chanson Noire, a síntese de seis anos de existência.

 

Com um alinhamento que seguiu o mais recente álbum (temas antigos, agora revisitados para Macumba Stereo), e acompanhamento 4musical de Toni Roque (violoncelo) e José Espírito Santo (guitarra), este foi um concerto repleto de pequenos momentos e pormenores, que tornaram esta noite, numa noite única e muito especial.

À medida que as várias músicas se iam sucedendo, amigos e colaboradores iam também subindo ao palco: participações como a de Simão Santos, em “Valsa de Escombros”, ou Jorge Bruto, em “Construindo Monstros”, embelezaram o concerto; o escritor David Soares subiu ao palco para interpretar o tema “Fado Mau”, e “Ode a Satã”, tema de fecho do álbum, teve direito a uma arrepiante interpretação por parte de Museline de Mattos, servindo de abertura para os temas “Meine Kleine Toten Herzen” e a lindíssima “La Chanson Noire”, do álbum de 2012, Cabaret Portugal. Segui-se “Horrorscope”, o single de estreia de Macumba Stereo, e o único tema original deste novo álbum.

E para além disto tudo, Charles Sangnoire, cuja indiscutível presença em palco (da qual não me canso de falar) e genialidade, fazem dos concertos de La Chanson Noire momentos preciosos. Charles é daqueles artistas (na verdadeira acepção do termo) que vale a pena ver e ouvir ao vivo, para que nos apercebamos da verdadeira potencialidade das suas músicas. Ficar em casa a ouvir os álbuns, é viver apenas metade da experiência.

“Bordel de Lúcifer” fechou o alinhamento, um tema já bem conhecido do público. No ar ficou a vontade de ver e ouvir mais.

13

(E de facto, gostei tanto, tanto do artista que achei que me ia dar uma coisa. Mas não chamei um médico, fui antes fumar um cigarro).

 

Setlist: Food for the Worms | Pura Merda | Fina Flor de Entulho | Água Benta | Valsa de Escombros | Fado Mau | Natal dos Hospitais | Ode a Satã | Meine Kleine Toten Herzen | La Chanson Noire | Horrorscope | Construindo Monstros | Bordel de Lúcifer

 

Reportagem de Rita Cipriano.
Fotografias de Carlos Ramalhete.

Leave a Reply

Your email address will not be published.