A Prime Artists encarregou-se mais uma vez de no passado dia 20 de Novembro nos trazer um dos principais nomes do metalcore.

A estreia de TRIVIUM em Portugal já era esperada há muito pelos fãs que fizeram questão de marcar lugar à porta do Paradise Garage em Lisboa, onde por volta das 18h já se começava a formar fila. Às 20h as portas abriram-se e a multidão correu direito às grades pra ter a oportunidade de ficar na primeira fila para ver a banda de Matt Heafy, Corey Beaulieu, Paolo Gregoletto e Nick Augusto pela primeira vez.

A banda de abertura escolhida para o último concerto desta tour foram os nortenhos Revolution Within, que nos vieram apresentar o seu segundo álbum de originais lançado este ano, intitulado Straight From Within. Depois do lançamento de Collision em 2009, a banda tem crescido a passos largos, tendo já uma inúmera lista de concertos na bagagem e presença marcada em festivais como o Vagos Open Air em 2011.

Com o seu thrash metal de revolução, entraram a matar e deixaram o público ao rubro, não deixando ficar mal a imagem do metal português. Apesar do pouco tempo de atuação, foram sempre intensos e com bastante garra, cativaram toda a gente da sala e mostraram-se bastante competentes de partilhar o palco com os TRIVIUM.

A sala estava a abarrotar e o calor era imenso, mas nem isso fez acalmar o público que não se conteve assim que os TRIVIUM pisaram o palco. Mal a intro “Capsizing the Sea” se começou a ouvir, foi visível a adrenalina dos fãs por verem finalmente ao vivo e a cores a banda norte-americana. “IN WAVES!” foi gritado com toda a pujança possível, e um mosh progressivo foi contagiando quase a sala inteira. Matt Heafy, sempre bastante comunicativo, foi trocando algumas palavras de agradecimento com o público presente e acrescentou ainda que eramos uma audiência fantástica.

Recuando um pouco atrás no tempo, do álbum de 2005, Ascendancy, somos bombardeados com a “Like Light to the Flies” e “Rain” seguidamente. Com poucas pausas para descansar, seguiram-se dois temas do álbum Shogun e rapidamente uma passagem pelo The Crusade com a música “Entrance of the Conflagration”.  Matt mostra-se admirado com a incansável energia do público e pede então um wall of death pra tornar o concerto ainda mais memorável. O público não se mete com rodeios e pode-se dizer que a casa quase que foi abaixo. A noite foi continuando com uma setlist de peso e houve ainda espaço para relembrar o primeiro álbum, Ember to Inferno, com o tema de mesmo nome.

O single “Built to Fall” do novo álbum ouviu-se entoar por toda a sala pelas vozes de quem parecia não estar ainda cansado e ansiava por mais. Seguiram-se mais alguns temas e a “Throes of Perdition” do Shogun foi escolhida para finalizar assim esta hora e meia de um concerto memorável.

Depois de uma chuva de palhetas, literalmente, chega ao fim este que foi o último concerto de uma tour de longos meses. Fica a promessa de um retorno próximo, segundo as palavras de Matt, que esperemos que não seja tão demorado quanto o tempo que os levou a vir cá.

Setlist Trivium – In Waves | Like Light to the Flies | Rain | Into the Mouth of Hell We March | Down From the Sky | Entrance of the Conflagration | Black | The Deceived | Watch the World Burn | A Gunshot to the Head of Trepidation | Ember to Inferno | Built to Fall | Dying in Your Arms | Pull Harder on the Strings of Your Martyr | Torn Between Scylla and Charybdis | Throes of Perdition

Texto – Rute Pascoal
Fotografia – Marco Trigo

Leave a Reply

Your email address will not be published.