O Paradise Garage foi mais uma vez palco de uma das mais aguardadas tours do ano, a The Epic Industrialist Tour. FEAR FACTORY, DEVIN TOWNSEND PROJECT e DUNDERBEIST foram os protagonistas de mais uma noite de peso que de certeza não desiludiu os fãs.

SYLOSIS era a banda convidada que acompanhava a digressão conjunta de FEAR FACTORY e DEVIN TOWNSEND PROJECT, mas um convite de última hora para integrar a digressão norte-americana de Lamb of God, fez os britânicos retirarem-se da tour, dando lugar aos noruegueses DUNDERBEIST.

Dunderbeist

Originários de Hedmark, são reconhecidos por “roubarem” elementos de outras canções conhecidas e desconhecidas, tornando-as deles próprios. Muitos se perguntavam o porquê da maquilhagem preta nos olhos – bem, deve-se a isso mesmo. Segundo eles, o conceito de roubar música é acentuado com maquilhagem à “ladrão”, juntamente com a roupa usada em palco. Facto é que isso não diminuiu em nada a sua presença em palco, foram bastante intensos, cheios de energia e iam contagiando o público, que rapidamente ia enchendo e aquecendo a sala.

Devin Townsend Project

O tempo de espera para Devin Townsend pareceu curto, pois foi feita uma projecção de imagens, ora com vídeos aleatórios da internet e fotomontagens com a cara de Devin, ora com aparições da personagem Ziltoid. As gargalhadas faziam se ouvir pela sala e repetiram-se ao longo do concerto, nos pequenos intervalos entre músicas em que Devin não podia deixar de lado o seu sempre presente e contagiante humor.

A primeira música da setlist foi a “Supercrush!”, do álbum Addicted de 2009. A multidão estava em êxtase, sempre a cantar e a aplaudir o músico canadiano. O resto do reportório foi bastante variado, com temas desde o álbum a solo de 1998, Infinity, ao tema “Vampira”, de Devin Townsend Band, e claro, os esperados temas do Epicloud. Além da poderosíssima “Juular”, acompanhada pelo vídeo oficial projectado em pano de fundo, o destaque vai para a “Lucky Animals” que não poderia ter sido melhor recebida pelo público que cantou e fez as célebres “jazz hands” e também para o tema “Grace” que foi um dos pontos altos da noite, onde nos sentimos transportados para outra dimensão do espaço.

Depois de vários pedidos pelo Ziltoid e de algumas piadas pelo meio, o concerto não podia acabar de melhor maneira senão com o tema “Color Your World”. É de sublinhar que Devin Townsend é sem dúvida um monstro de palco, a todos os níveis, e como ele são poucos os que conseguem cativar o público, seja com a sua poderosa força e voz, como pela sua capacidade de entertainer. Ficamos à espera de um regresso num futuro muito próximo.

Setlist: 1 – Supercrush! | 2 – Kingdom | 3- Truth | 4 – Planet of the Apes | 5 – Where We Belong | 6 -War | 7 – Vampira | 8 – Lucky Animals | 9 – Juular | 10 – Grace | 11 – Color Your World

Fear Factory

 Depois de 6 anos sem pisar palcos nacionais, os americanos FEAR FACTORY já há muito eram esperados pelos fãs portugueses.

Criadores e pioneiros do cyber metal, já contam com 23 anos de bagagem e desengane-se quem pensar que eles já tinham passado à história. É com o tema “The Industrialist” do mais novíssimo álbum com o mesmo nome, que os FEAR FACTORY começam a abrir e a criar de imediato um mosh quase pela sala inteira.

Imparáveis como nunca e com o público num alvoroço completo que ia devorando a setlist, íamos viajando no tempo por entre temas como “Edgecrusher” e “Smasher/Devourer” ambos do álbum Obsolete de 1998, “Acres Of Skin” do Digimortal  de 2001 e novamente voltando ao The Industrialist tivemos “Recharger”.

Burton C. Bell ia trocando algumas palavras com a multidão que parecia ainda não estar cansada e gritava por mais. Por entre o imenso mosh e crowsurfing, estamos na recta final do concerto e as últimas 4 músicas vêm directamente retiradas de um dos mais aclamados álbuns da banda, o Demanufacture de 1995. A tão esperada “Replica” fechou assim um dos concertos mais aguardados do ano.

Setlist: 1 – The Industrialist | 2 – Shock | 3 – Edgecrusher | 4 – Smasher/Devourer | 5 – Powershifter | 6 – Acres of Skin | 7 – Linchpin | 8 – Resurrection | 9 – Recharger | 10 – Martyr | 11 – Scapegoat | 12 – Demanufacture | 13 – Self Bias Resistor | 14 – Zero Signal | 15 – Replica

E é ao fim de quase 4 horas de música que termina assim esta grande noite, que dificilmente será esquecida pelos presentes.

Texto por: Rute Pascoal
Fotografia por: Diogo Oliveira
Agradecimentos: Prime Artists

Leave a Reply

Your email address will not be published.