A Ruído Sonoro esteve à conversa com Orfeas, baterista dos Suicidal Angels.

 

RUÍDO SONORO: Antes de mais queria agradecer por concederem esta entrevista. Apresentem os Suicidal Angels para o público que ainda não esta a par dos vossos trabalhos
SUICIDAL ANGELS: Nós somos os Suicidal Angels, provenientes da Grécia e tocamos thrash metal old school desde 2001.

RUÍDO SONORO: São naturais da Grécia, como é a cultura metal lá?
SUICIDAL ANGELS: Na verdade não há muitas bandas gregas a sair do underground… Com a excepção de Rotting Christ, a única banda que consigo lembrar-me agora são os Septic Flesh e os Firewind.
O problema do metal grego é que, por mais ricas que sejam, as bandas não levam a sua música a sério, portanto não conseguem progredir. Preferem sentar-se e beber cerveja enquanto reclamam sobre o quão infeliz a banda é, em vez de se mexerem e trabalhar! Há uma pequena minoria que, de facto, se mexe, devagar mas consecutivamente e atingirão os seus objectivos eventualmente.

RUÍDO SONORO: Quando, como e com quem começou a banda?
SUICIDAL ANGELS: Tudo começou em 2001 com o Nick apenas como hobbie. Mais tarde Orfeas juntou-se à banda, e foi assim que se criou o núcleo. Ao longo dos anos foram feitas muitas mudanças de membros que levaram os Suicidal Angels a este ponto, a formação mais estável de sempre, pelo que parece.

RUÍDO SONORO: Como tem corrido a tour europeia com os grandes Exodus? Qual tem sido a resposta por parte do publico? Pretendem voltar?
SUICIDAL ANGELS: Já é a segunda vez que estamos em tour com os Exodus, a primeira vez foi em 2010 na Thrashfest tour. Vinculá-mo-nos a eles, são pessoas espetaculares, grandes personalidades, personagens de ouro, já para não falar de lendas vivas!
Todas as noites foram divertidas, o público estava a dar em doido, foi incrível! Não nos importávamos de estar em tour com os Exodus meses seguidos.

RUÍDO SONORO: Após o vosso primeiro concerto em Portugal, o que têm a dizer sobre o país e o publico presente?
SUICIDAL ANGELS: Nós queremos voltar a Portugal, definitivamente! Foi a primeira vez mas com certeza não a última. Sempre quisemos dar um concerto aí devido aos rumores que ouvíamos sobre o público, e confirmaram-se! Alguém fez até uma bandeira para nós! Uma bandeira portuguesa com o logótipo da banda a dizer Welcome to Portugal. Foi um presente que trouxemos para casa e que nos faz ficar muito orgulhosos por termos amigos assim em Portugal!

RUÍDO SONORO: Quais os melhores momentos da vossa carreira até agora?
SUICIDAL ANGELS: É uma pergunta difícil de responder. Claro que uma das coisas é termos ganho o prémio Rock the Nation entre 1200 bandas, em 2009, chegando a actuar em grandes festivais como o Wacken, Graspop, SummerBreeze, fazer tours com lendas como Kreator e Exodus, atingir os tops de vendas na Alemanha e Áustria com o álbum Bloodbath. Tantas coisas, tantas boas memórias…

RUÍDO SONORO: Quais são as vossas maiores influencias no thrash metal?
SUICIDAL ANGELS: Acho que é muito fácil aperceberem-se que adoramos Slayer! Mas não são a nossa única influência. Também gostamos de muitas outras bandas, nomeadamente Kreator, Exodus, Dark Angel, Sepultura, Sodom entre outras. Foram estas bandas que nos fizeram começar e apaixonar por este tipo de música.

RUÍDO SONORO: Das banda de NWOTM, quais apreciam mais?
SUICIDAL ANGELS: Há imensas bandas de qualidade, nós diríamos Warbringer, Municipal Waste, Fueled by Fire, Vektor… Tenho a certeza que faltam algumas mas como te disse, há muitas bandas de qualidade hoje em dia.

RUÍDO SONORO: Estão satisfeitos com o que compuseram até agora ou mudariam alguma coisa?
SUICIDAL ANGELS: Sim, obviamente estamos satisfeitos com o material que lançamos até hoje e queremos continuar a fazer o que fazemos, o melhor que pudermos. Não queremos mudar nada, apenas continuar a tocar thrash metal da mesma forma que temos tocado. É disto que gostamos, por isso é o que queremos tocar.

RUÍDO SONORO: Como funciona o vosso processo de composição?
SUICIDAL ANGELS: Nick e Panos trazem alguns riffs para o estúdio e começamos a trabalhar neles todos juntos. É uma espécie de improviso na sala de ensaio, é um método muito simples. Apenas vamos tocando as novas músicas para encontrar ideias boas, fazendo umas alterações e é isso!
Nós gostamos muito do processo de composição de novas músicas, posso dizer-te, nunca acabam! Encontramos sempre muita coisa para alterar ao longo do processo até à gravação do álbum e mesmo depois podemos ter outras ideias e usa-las enquanto actuamos.

RUÍDO SONORO: Sentem que ainda tem muito para aprender?
SUICIDAL ANGELS: Uma banda nunca deixa de aprender. Ano após ano, dia após dia, concerto após concerto nós tornamo-nos mais experientes. Isto nunca acabará porque se acabar, é também o nosso fim.

RUÍDO SONORO: Quais são os vossos objectivos?
SUICIDAL ANGELS: Queremos continuar por muito tempo, divulgar a nossa música em todo o lado, tocar em cada canto do mundo e dar às pessoas algo com que possam fazer headbang e mosh.

RUÍDO SONORO: Algumas palavras para os fãs?
SUICIDAL ANGELS: Queremos desde já agradecer-te pelo tempo e por esta entrevista, assim como aos nossos amigos que lerem isto. Iremos ver-vos, crazy thrashers, muito em breve. Preparem-se porque da próxima vez vai ser ainda mais caótico!

Leave a Reply

Your email address will not be published.