Foi já em noite de Verão que se realizou a segunda edição do Rockline Tribe Fest, a 30 de Junho, novamente no Room 5 em Lisboa. A sala do Cais do Sodré acolhia então os concertos de Adamantine, For The Glory e W.A.K.O., com especial destaque para o último espectáculo de reunião de TwentyInchBurial.

Eram 21h30 quando os Adamantine reuniram a audiência junto do palco para dar início ao seu concerto. ‘Chaos Genesis’, faixa-título do seu álbum de estreia, foi razão para movimentações bruscas entre os presentes e desde cedo que os fãs se fizeram ouvir. ‘Death Comes To Us All’, ‘Generation Of Saviours’ e ‘Poisoning The Well’ foram algumas das faixas apresentadas pela banda que se mostrou bastante comunicativa através do vocalista André Bettencourt.

Seguiram-se os For The Glory. A legião de fãs é notável e a sua concentração junto do palco foi motivo suficiente para carregar a sala com stage dives, algo também pedido por Congas, carismático vocalista da banda. Com o público bem aceso e capaz de derrubar tudo por onde passasse, os For The Glory foram descarregando malhas como ‘Some Kids Have No Face’ ou ‘All Alone’, assim como rasgos elogios à forma como os presentes se fizeram mostrar ao longo de todo o concerto. ‘Life Is Carousel’, com a participação de Hugo dos Switchtense, e ‘You Fail Me’ não faltaram no repertório, assim como uma versão especial de The Offspring, ‘Genocide’, e a sempre explosiva ‘Survival Of The Fittest’. Seria o fecho, não fosse a banda brindar à organização mais um par de minutos com ‘Fallen Mask’. Terminou assim um concerto verdadeiramente destruidor.

Sem quebrar o ritmo, os WAKO fizeram questão de distribuir mais violência sonora para se traduzir em violência física. ‘Dissonant Dark Dance’, ‘Ship Of Fools’ e ‘Extispicium’ foram as primeiras faixas de “The Road Of Awareness” apresentadas no Room 5, alternadas com ‘Eternal Spiral’ e ‘Nihilist War God’ na hora de visitar o álbum de estreia. ‘Drifting Beyond Reality’ e ‘Abyss’ foram dois dos mais altos momentos desta pujante locomotiva de guitarras de 7 cordas e pedal duplo de bateria. ‘Unknown Life Form’ foi então mote para a sua despedida, fechando a actuação com elogios ao público, à organização e às restantes bandas em cartaz.

Os TwentyInchBurial, banda já com estatuto de ‘lendária’ pela forma como marcou a música extrema nacional, reuniu-se para dois últimos concertos no Porto e em Lisboa. Depois da actuação no Hard Club, foi então no Rockline Tribe Fest que se despediram na capital. ‘Octopus’ deu entrada a múltiplos stage dives, uns atrás de outros, algo que foi praticamente constante enquanto os TwentyInchBurial estiveram em palco a revisitar a sua carreira. No entanto, quem tinha saudades dificilmente as matou – temas como ‘Amo-te’, ‘Honesty Kills’, ‘Excuses’ ou ’30 Minutes Journey’ são quase hinos de uma geração que impulsionou a música do género em Portugal.

A noite seguiu em alta com os habituais DJ’s Izzy & Carlão e DJ António Freitas, mantendo o espírito de festa pelo resto da madrugada.

Agradecimentos: Rockline Tribe.

Texto e Fotografia por: Nuno Bernardo.

Leave a Reply

Your email address will not be published.