Na segunda noite do SWR Porto Hard, depois do grande foco de Cannibal Corpse, o Hard Club recebeu uma noite dedicada ao thrash metal – Suicidal Angels, Heathen e Death Angel tiveram as honras de preparar o público para Exodus. Pouco passava da hora estipulada para o início dos concertos quando os gregos Suicidal Angels pisaram o palco ao som de ‘Bloodbath’. A banda soube como aquecer os ânimos e pôr o público que não estava a par do seu trabalho a mexer, oferecendo ‘Chaos (The Curse Is Burning Inside)’ e ‘Moshing Crew’ e terminando a actuação bem coesa com ‘Apokathilosis’.


Seguiu-se a clássica banda da Bay Area, Heathen, formados em 1984 e apenas com um membro da formação original, acabando por ser surpresa para alguns devido ao seu nome não constar no cartaz do segundo dia do evento. Trouxeram a solo lusitano clássicos como ‘Hypnotised’ e ‘Death By Hanging’, assim como temas do mais recente álbum ”The Evolution Of Chaos”. Não tão populares quanto as bandas que se seguiam entre o público, mas este acabou por se render à actuação dos californianos. 
Já os Death Angel iniciaram o concerto com a já esperada ‘Thrashers’. Todos eles exímios músicos, trouxeram na bagagem ”The Ultra-Violence” tocado na íntegra de forma a festejar o seu 25º aniversário, um privilégio para os fãs. A destacar: os vocais de Mark Osegueda, que serão provavelmente um dos mais referenciados dentro do género.


Seguiram-se os demolidores Exodus. Ainda que sem a presença de Gary Holt, por estar em tour com Slayer, contaram com Rick Hunolt no seu lugar, o que se revelou uma grande aposta por parte da banda. Uma setlist com imensos temas dos anos 80, riffs dinâmicos e adrenalina na bateria, significando muito mosh e crowdsurfing. A sala 1 do Hard Club foi contagiada pela banda, sendo palco de um circle pit enorme, agressivo e rápido. Grandes clássicos ecoaram na noite de 18 de Junho, como ‘Bonded by Blood’, ‘The Toxic Waltz’ , ‘Piranha’ e ‘Strike of the Beast’ e até ‘Deranged’ com a participaçao de 
Kragen Lum (de Heathen). E destaque para o som: escutava-se tudo na perfeição, sem exageros no volume, proporcionando mais ainda um concerto memorável, embora sempre com o fantasma da preferência dos fãs de Exodus pela voz de Souza, em vez do actual Rob Dukes. Assim se conclui uma bela noite de thrash metal na cidade invicta.

Setlist (Exodus):
The Last Act Of Defiance
Iconoclasm
Piranha
Shroud Of Urine
Metal Command
And Then There Were None
Scar Spangled Banner
A Lesson In Violence
Deranged
Blacklist
Bonded By Blood
War Is My Shepherd
The Toxic Waltz
Strike Of The Beast

Texto e Fotografia: Rita Mota.
Agradecimentos: SWR inc.

Leave a Reply

Your email address will not be published.