No ultimo dia 12, pelos lados do campo pequeno, um fim de uma tarde quente, típica do inicio de verão era apenas o prenuncio para uma noite de verdadeiro fogo e metal forjado na perfeição, produzido para a apresentação do ultimo álbum de uma das nossas grandes bandas, os MOONSPELL.

Foi com impressionantes efeitos de luz, pirotecnia e Axis Mundi que a banda subiu ao palco equipado com duas paredes de amplificadores e no qual o vocalista envergava uma mascara marcial de conquista, sob a qual o publico rapidamente se rendeu ao som do novo álbum. Este foi tocado na integra seguindo o alinhamento do disco e nem mesmo a pouca familiaridade com o mesmo impediu a grande aderência do publico que tanto cantou como participou no mosh criado em algumas das musicas. O jogo de luzes e ocasional pirotécnica, tanto fogo de artificio e real, foi utilizado com mestria, tendo sido um festim visual que em tudo contribuiu para o ambiente enérgico e potente que se viveu durante a noite, as luzes rápidas, a alimentar a adrenalina do publico, ou o fogo a aquecer a sala foram alguns dos melhores momentos visuais. O ponto alto foi “Em Nome do Medo”, certamente o mais recente clássico para concertos, em que a participação do publico foi total tanto no refrão como na apreciação do solo de guitarra no qual Ricardo Amorim demonstrou mais uma vez como embelezar este instrumento, juntamente com as projeções de chamas que invadiam o palco e a temperatura emanada pela banda foi o momento desejado pela banda (aquele que contaremos aos nossos netos), apenas deixa alguma pena de que não haja mais metal cantado na língua lusa, é uma combinação perfeita. Seguiram-se musicas como “Finisterra”, “Night Eternal”, “Wolfshade (A Werewolf Masquerade)”; “Vampiria” e “Alma Matter” temas bastante conhecidos e apreciados pelo publico com direto a uma enorme manifestação de contentamento, participação e energia. Foi então que anunciaram o fim da primeira parte, da parte Alpha do concerto…

A segunda parte é descrita perfeitamente pelas palavras de Fernando Ribeiro ”menos eletricidade, mais poesia”, a parte Omega do concerto. Foi passado um intervalo, uma mudança de palco e de som que na segunda parte fomos presenteados com o disco Omega White, um duo de vozes femininas e um de contrabaixos e ainda projeções de vídeo sincronizadas com a musica de forma a que todo o ambiente se voltou para um visual de emoções mais escondidas, introspeção lírica e visual. O ritmo abrandou, mas de certa forma a envolvência do publico manteve-se, agora mais calmo, mas talvez também mais contemplativo, com musicas como “New Tears Eve” (dedicada a Peter Steele dos Type O Negative, recentemente falecido) a obterem grande receptividade, pela dedicação, musica e efeito cénicos de neve a cair sobre o palco, tudo isto levando pela cordialidade do grande anfitrião que é o vocalista desta banda. Finalizaram com músicas como “Raven Claws”, “Opium”, “Scorpion Flower” e “An Erotic Alchemy”, agradecimentos aos convidados e equipa de apoio técnico. De notar ainda que as projeções tiveram momentos de grande qualidade e contribuíram bastante para o ambiente, quer invocando imagens relacionadas com as musicas, como corvos e lobos, quer utilizando efeitos para expandir ainda mais o desempenho visual da banda, como em “White Skies” com as silhuetas dos músicos.

Por fim fizeram um discurso final e concluíram com “Full Moon Madness” aquilo que foi um grande concerto, com a coragem de fazer a apresentação completa de dois álbuns novos e diferentes em estilo, mostrando como se faz uma noite de metal espetacular ao longo de quase três horas de actuação.
A única crítica a apontar tem a ver com a qualidade do som, a qual não esteve a altura da excelência dos músicos (especialmente a nível de vozes) e alguns problemas sonoros pontuais, mas que mesmo assim não impediu uma prestação verdadeiramente memorável pela parte da banda, convidados, iluminação e projeções…
Indubitavelmente, um grande concerto que teve direito a uma verdadeira ovação como despedida à banda, algo realmente merecido, pois será relembrado por muito tempo.

Set List

1. Axis Mundi – http://youtu.be/m6txeg4qX9U
2. Lickanthrope
3. Versus
4. Alpha Noir
5. Em Nome do Medo
6. Opera Carne
7. Love is Blasphemy
8. Grand Stand
9. Sine Missione
10. Finisterra
11. Night Eternal
12. Wolfshade (A Werewolf Masquerade)
13. Vampiria
14. Alma Mater
15. White Omega
16. White Skies
17. Fire Season
18. New Tears Eve
19. Herodisiac
20. Incantatrix
21. Sacrificial
22. A Greater Darkness
23. Opium
24. An Erotic Alchemy
25. Raven Claws
26. Scorpion Flower
27. Full Moon Madness

Texto – Pedro Celestino
Fotos – Jorge Botas

Leave a Reply

Your email address will not be published.