Banda: All Splintered Memories
Álbum: Love In The Animal Kingdom [EP] Data de lançamento: 29 de Março de 2012
Editora: (sem editora)
Género: Electronic Post-Hardcore/Pop-Punk
País: Portugal

Membros
Ana Beatriz Hilário – Voz
Ruben Ferreira – Guitarra
Duarte Vieira – Guitarra
Pedro Simões – Baixo
Sebastião Monteiro – Bateria

Alinhamento

  1. Love In The Animal Kingdom
  2. Hold. Your. Breath.
  3. Bi[a]tch!
  4. They Can’t Beat You
  5. You’ll Be Proud Of Me… I Promise 2.0

Introdução

Os All Splintered Memories são um novo projecto lisboeta que vem provar aos mais cépticos que em Portugal ainda existe muita margem para fazer coisas novas e com qualidade. Numa desafiante mistura entre Hardcore, Metalcore, Pop e Punk, dando ainda um toque electrónico, esta banda consegue juntar sonoridades de bandas como Bless The Fall, Enter Shikari, Hills Have Eyes e… Avril Lavigne. E para aqueles que já começaram a engelhar o nariz, preparem-se para uma surpresa agradável. Love In The Animal Kingdom não é para os nossos leitores “de peso”, mas para quem gostou de Chaos In Paradise e Bless The Oggs, para quem tem uma mente aberta a todos os géneros e para quem gosta de algo mais soft mas intenso, está aqui algo que não devem deixar passar ao lado.

Review

Excluindo a introdução homónima, o EP abre logo com o melhor tema deste registo. Hold Your Breath consegue no primeiro minuto dar-nos praticamente um pouco de tudo aquilo que a banda tem para oferecer. A sonoridade é bem preenchida, intensa e com muitos detalhes relevantes, criando uma atmosfera positiva enriquecida por alguns toques electrónicos. O gutural, que infelizmente poderia estar um pouco mais presente nos temas que se seguem, contrasta na perfeição com a voz doce e cheia de energia positiva de Ana Beatriz Hilário. Este tema de cinco minutos tem passagens muito agradáveis pelo meio, destacando-se o som de piano que precede uma passagem mais pesada.

A seguir ao melhor, vem talvez o tema mais estranho do EP. Alegre e divertido, Bi[a]tch! poderia muito bem ser um tema da Avril Lavigne, não fosse uma passagem com gutural e um instrumental muito mais rico e interessante que o da cantora pop canadiana. Com algumas partes bastante catchy, é pena o minuto final do tema perder alguma qualidade por entrar em repetição. They Can’t Beat You tem uma boa entrada, mas acaba por se tornar no tema mais previsível e menos original de Love In The Animal Kingdom, mantendo no entanto uma qualidade constante do princípio ao fim. A fechar, You’ll Be Proud Of Me… I Promise 2.0 dá-nos mais quatro minutos agradáveis, faltando talvez um bocadinho de gutural na primeira metade do tema, que o bocadinho da segunda metade sabe a pouco.

Conclusão

Ainda falta percorrer um longo caminho para chegar ao topo, mas os All Splintered Memories têm o desconto de serem pioneiros desta sonoridade em Portugal. Há muita coisa a melhorar, a meu ver essencialmente no contraste entre melodia e peso, meter mais gutural nos temas e explorar melhor a voz da Ana, que é muito constante ao longo de todo o EP e dá a sensação que poderia ter algumas variações mais suaves ou mais agressivas. No entanto, tendo em conta a vontade de fazer algo novo e original, a banda não se safou nada mal, falta agora público nacional para este tipo de som.

Saudações metaleiras,
David Dark Forever Matos

Classificação

Vocal: 7,5/10
Instrumental: 8,25/10
Escrita: 7/10
Originalidade: 7,5/10
Produção: 9/10
Impressão pessoal: 7/10
TOTAL: 76,4%

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.