Depois de uma noite de Punk e Hardcore na quarta-feira encabeçada pelos No Fun at All, a noite de quinta-feira foi noite de regressar a sala para um espectáculo completamente diferente. Era noite de Metal misturado com Stoner Rock/Psicadélico por um lado, Screamo por outro e Noise Rock/Hardcore por outro. Os Kylesa, cabeças de cartaz, trouxeram os KEN Mode e os Circle Takes the Square para aquecerem o público.

Os KEN Mode subiram ao palco à hora marcada. A banda oriunda de Winnipeg, no Canadá, está entre nós desde 1999 e já lançou 4 albúns, sendo o último “Venerable” o mais bem sucedido do conjunto. Foram 40 minutos de um Hardcore sujo com inúmeras sonoridades a lembrar o post/noise-rock e alguns temas instrumentais. Embora a sala ainda não estivesse muito bem composta, os KEN Mode despertaram a curiosidade dos presentes e provaram ser sem dúvida uma banda a acompanhar.

Setlist:
Obeying The Iron Will
Book Of Muscle
Seul
Frye
Flight Of The Echo Hawk
Never Was

O palco foi em seguida tomado por Circle Takes The Square e o seu post/punk-hardcore, no que foi uma agradável surpresa. A combinação da voz da baixista Kathy Stubelek, fosse melodiosa, fosse num screamo brutal, com a voz do guitarrista Drew Speziale captaram a atenção de quem não esperava uma grande prestação ou de quem, simplesmente, não conhecia os americanos.

Setlist:
Same Shade As Concrete
Crowquill
Enter By The Narrow Gates
Spirit Narrative
Way Of Ever-Branching Paths
In The Nervous Light Of Sunday
Prefaced By The Signal Fires
Our Need To Bleed

Já a fechar uma noite bastante agradável e com um Santiago Alquimista agora composto, os americanos Kylesa subiram ao palco para uma prestação que poderia ter oferecido muito mais ao público não fosse o som exagerado das guitarras e do baixo, que tornaram as vozes de Phillip Cope e de Laura Pleasants inaudíveis – facto que tirou algum mérito à prestação da banda. Com direito a drum jam entre os dois bateristas e passando pelos temas mais antigos até aos de Spiral Climb (2010), a noite deu-se por fechada após a espectacular “Where The Horizon Unfolds” – como muitos dos outros temas, tocada na perfeição mas com o defeito demasiado evidente da voz.

Setlist:
Said and Done
Only One
Tired Climb
To Forget
Bottom Line
Forsaken
Don’t Look Back
Distance Closing In
Unknown Awareness
Hollow Severer
Scapegoat
Running Red
Where the Horizon Unfolds

Texto e fotografia por:
Manuel Casanova
Diogo Oliveira

Leave a Reply

Your email address will not be published.