Banda: Dreadfire
Álbum: Face The Storm [EP] Data de lançamento: Fevereiro de 2012
Género: Groove/Thrash Metal
País: Portugal

Membros
Matt József – Voz
Pedro Soares – Guitarras
Bruno Pereira – Guitarras
Tiago Pereira – Baixo
Alex Marques – Bateria

Alinhamento

  • Revelation
  • Face The Storm
  • Light The Match
  • New Ground
  • Raised On Deceit

Introdução

Formados em Lisboa sob o nome Platinum, os Dreadfire sofreram significantes alterações nos seus membros e na sonoridade até chegar a este EP de estreia. Face The Storm é um trabalho de Thrash Metal com uma sonoridade Groove, com um estilo semelhante a Lamb Of God e Machine Head, mas distinto e bastante interessante no panorama nacional. Sem ser demasiado complexo, este trabalho não é apenas “mais um”, tem pormenores interessantes e será do agrado de qualquer ouvido sintonizado para Metal de qualidade, podendo mesmo surpreender alguns.

Song By Song Review

Precedendo a faixa homónima do EP, temos uma entrada de minuto e meio, intitulada Revelation, com um crescendo sonoro que culmina aos 25 segundos num coro poderoso, acompanhado por uma atmosfera intensa e negra, uma das melhores introduções que ouvi nos últimos tempos. Segue-se então Face The Storm, enérgico e explosivo, com o gutural de Matt a mostrar-se forte, seguro e bastante perceptível nas letras. O trabalho de guitarras e baixo de fundo conta com riffs cativantes e variados, e o ritmo puxa pelo ouvinte. Uma passagem semi-acústica aos dois minutos dá profundidade ao tema, que prossegue para um solo explosivo muito bem conseguido. Com 5 minutos, o tema homónimo do EP é também o melhor, não só pela variedade como pela sua relativa complexidade, que o afasta de temas genéricos de Thrash Metal e acaba por entrar como uma luva no ouvido.

Light The Match começa com um riff simples que evolve bem para o gutural poderoso de Matt. O trabalho na bateria nesta música é simples, mas tem diversos pormenores que o destacam dos restantes instrumentos. Apesar de a considerar a faixa mais fraca do EP, o tema é agradável e certamente puxará bem pela plateia ao vivo. Segue-se New Ground, um tema quase ao nível do Face The Storm. Com uma entrada semi-acústica a criar um ambiente de mistério, que evoluí para um pequeno solo de guitarra, esta é uma entrada magnífica que acaba por explodir em energia aos 45 segundos. Mas o melhor é mesmo o refrão, com um riff da guitarra solo original e a voz do Matt a entrar muito bem, tornando este o refrão mais interessante de todo o CD. É também o tema mais pesado e enérgico, com um solo a meio excelente. New Ground despede-se no ritmo mais lento e soturno da entrada, desta vez com o gutural a dar um tom ainda mais negro.

Para terminar temos Raised On Deceit, mais uma vez com uma entrada num ritmo mais lento, mais curta que a do tema anterior. Seguindo a fórmula das suas predecessoras, a música acabaria por não trazer nada de novo ao EP não fosse pelo solo cortante aos 2 minutos, que dá uma dimensão superior ao tema. Estas passagens a meio das músicas deverão resultar muito bem ao vivo. Com um final em fúria crescente, o EP despede-se com um grito gutural profundo.

Conclusão

Curto mas intenso, este EP de estreia dos Dreadfire mostra uma banda com uma carreira muito promissora. Ainda bastante jovens, e praticamente sem experiência anterior, conseguir fazer emerger um trabalho desta qualidade não é para todos! Resta agora trabalhar com vontade, apostar nos concertos, melhorar alguns aspectos na composição, nomeadamente numa composição musical que destaque mais as qualidades individuais de cada um e que faça o excelente gutural do Matt encaixar ainda melhor. Com o passar do tempo vem a experiência, e tenho a certeza que o álbum de estreia dos Dreadfire, se não for feito à pressa, será o consolidar de mais um nome a ter em conta no Thrash Metal nacional.

Saudações metaleiras,
David Dark Forever Matos

Classificação

Vocal: 8/10
Instrumental: 7,5/10
Escrita: 7,25/10
Originalidade: 7/10
Produção: 9,25/10
Impressão pessoal: 7,5/10
TOTAL: 77,1%

 

Related Posts

2 Responses

  1. Luísa J Urrie

    Parabéns à banda, agora é sempre em frente e quero ver-vos a ter muito sucesso! quando precisarem de mais coros, avisem (sim eu sou a menina que faz o coro em Revelation xD)

    Responder

Leave a Reply

Your email address will not be published.