Por volta das 20h30 do passado Domingo, as portas do famoso Armazém F, apelidado agora de TMN ao Vivo, abriram-se para receber o último concerto do ano dos americanos YELLOWCARD. A banda, que regressou há pouco tempo de um hiatus de 2 anos com o álbum “When You’re Through thinking, Say Yes”, apesar de ter cerca de uma década de carreira nunca passara pelo nosso país. Consigo vieram os “veteranos” SAVES THE DAY e os ingleses YOUNG GUNS.

Os britânicos Young Guns iniciaram o espectáculo por volta das 9 horas. Com apenas um álbum editado, os jovens já têm uma base de fãs bastante extensa (maioritariamente feminina), mesmo cá em Portugal desde cedo tinham algumas raparigas à sua espera nas primeiras filas. A actuação, embora curta, foi bastante intensa e enérgica, embora as músicas acabassem por soar um pouco iguais para os menos conhecedores do trabalho dos Young Guns. Pode-se dizer que o som ao vivo não foi tão apelativo como o som de estúdio mas tendo em conta que a banda ainda está no início de carreira não é um grande defeito a apontar. Tirando estes dois aspectos os rapazes deram um bom concerto e deixaram muitos curiosos entusiasmados com a sua performance. O single “weight of the World” foi o tema mais celebrado da actuação, bem como o tema “Stitches”.

Setlist (Young Guns):
D.O.A.
Elements
Crystal Clear
Learn My Lesson
Stitches
Brother In Arms
Weight Of The World

Mais tarde subiram ao palco os americanos Saves the Day. Estes apresentaram um alinhamento completo, passando por todas as fases da sua carreira. A curiosa voz do vocalista, Chris Conley, parece que parou no tempo, desde que formou a banda, em 1994. Oriundos de New Jersey, os Saves the Day já passaram por inúmeras alterações no line-up da banda, tendo apenas gravado dois álbums consecutivos com o mesmo line-up e sendo Chris Conley o único membro de origem. Embora estes não tivessem tantos entusiastas na plateia como os anteriores, o público pareceu divertir-se com o som animado e rápido da banda que era amolecido pela voz aguda de vocalista e guitarrista. Os temas que mais fizeram a plateia cantar e até dançar foram clássicos como “Freakish” e “1984”. O concerto contou ainda com participações de membros dos cabeças de cartaz. Ryan Key juntou-se aos colegas para o tema “Holly Hox Forget Me Nots” e o violinista, Sean, juntou-se para cantar alguns back-vocals mais tarde. Pouco antes do concerto terminar quase todos (se não mesmo todos) os membros das bandas subiram ao palco para beber um copo. Todos estes factores fizeram do concerto de Saves the Day um espectáculo divertido e o som da banda foi agradável aos ouvidos, depois do som mais agressivo dos jovens Young Guns.

Setlist (Saves The Day):
Firefly
Shoulder to the Wheel
Deranged & Desperate
The End Cars & Calories
1984
Anywhere With You
Freakish
Holly Hox Forget Me Nots
Eulogy
Undress Me
Can’t Stay
You Vandal
At Your Funeral

Passados alguns minutos foi, finalmente, a vez dos YELLOWCARD se estrearem num palco nacional. A banda iniciou o concerto com o single “For You and Your Denial” do seu último registo. Seguiram-se os temas “Way Away” que integra o álbum mais relevante da banda, “Ocean Avenue”, e “Shrink the World”. Estes serviram como a combinação perfeita para o início de um grande concerto. Logo após o terceiro tema terminar, o sistema de som da sala foi abaixo, algo que já se começa a tornar habitual no TMN ao Vivo. Foi nesta altura que a verdadeira festa começou. Sean Mackin (violinista) incitou o público a cantar os parabéns a Ryan, que tinha feito anos no dia anterior. Os mesmos foram cantados em inglês e em português. De seguida, a plateia começou a cantar em uníssono “Ocean Avenue” que foi acompanhada por LP na bateria e por Ryan a fazer air-guitar. Visto que o som teimava em não voltar tivémos a oportunidade de ouvir versões acústicas de “Rough Landing, Holly” e “Empty Apartment” durante a qual o sistema de som finalmente deu sinal de vida. E assim prosseguiu o brilhante concerto, com clássicos, como a espantosa “Only One”, e com novos temas igualmente bons, como “Sing for Me” ou “Hang You Up”.  Foi também tocado um cover de “Say It Ain’t So” (Weezer) no meio de gargalhadas e boa disposição.
Antes da última música, “Ocean Avenue”, ser tocada, Ryan Key falou sobre a vontade com que ficou de voltar ao nosso país e frisou que o último concerto do ano estava a ser espantoso. Fez-se ainda barulho para as bandas anteriores, Young Guns e Saves the Day, e os membros das mesmas subiram ao palco para acabar a festa.

Foi um excelente concerto para acabar bem o ano de 2011. Os Yellowcard mostraram que estão vivos e renovados, com um som fresco e nada maçador. Alguns aspectos a frisar são a energia dos membros mais antigos da banda (LP, Ryan e Sean) e as excelentes qualidades vocais de Ryan, que nos surpreendeu pela positiva. É de facto uma experiência a repetir… Se algum dia voltar existir tal oportunidade!

Setlist (Yellowcard):
For You And Your Denial
Way Away
Shrink The World
*Parabéns/Happy Birthday to Ryan*
Ocean Avenue (cantada pelos fãs e acompanhada por bateria)
Rough Landing, Holly
Empty Apartment
Light Up The Sky
Soundtrack
With You Around
The Sound Of You And Me
Only One
Breathing
Believe
Say It Ain’t So (Cover Weezer)
Cut Me, Mick
Sing For Me
Hang You Up
Be The Young
Lights and Sounds
Ocean Avenue

Mais fotografias aqui!

Texto por: Manuel Casanova e Rita Magalhães
Fotografia por: Manuel Casanova

Agradecimentos: Xuxa Jurássica

Leave a Reply

Your email address will not be published.