Banda: Trivium
Álbum: In Waves
Data de Lançamento: 9 de Agosto de 2011
Editora: Roadrunner Records
Género: Metalcore/Thrash Metal
País: E.U.A.

MySpace | Facebook | last.fm

Membros:

Matt Heafy – Voz, Guitarra
Corey Beaulieu – Voz, Guitarra
Paolo Gregoletto – Voz, Baixo
Nick Augusto – Bateria


Alinhamento:
01. Capsizing The Sea
02. In Waves
03. Inception Of The End
04. Dusk Dismantled
05. Watch The World Burn
06. Black
07. A Skyline’s Severance
08. Built To Fall
09. Caustic Are The Ties That Bind
10. Forsake Not The Dream
11. Chaos Reigns
12. Of All These Yesterdays
13. Leaving This World Behind

Os TRIVIUM são mais uma das maiores bandas do metal mainstream. Desde o seu aparecimento que dividem opiniões pelo tipo de som agressivo e/ou emocional que praticam. Como um dos principais impulsionadores do metalcore, o grupo lança agora o seu quinto álbum, entitulado “In Waves”.

Tal como todos os álbuns anteriores, os seus riffs de assinatura continuam a marcar o som, acompanhados da melódica voz de Matt Heafy. Ainda assim, este álbum parece trazer algumas novidades ao som da banda. O refrão da faixa ‘Black’, por exemplo, bem ao estilo dos compatriotas AVENGED SEVENFOLD, é algo que a banda se atreve agora a explorar. Mas não se alarmem – para os fãs do álbum “Ascendancy”, há um par de faixas que irá merecer as vossas palmas. ‘Forsake Not The Dream’ deve ser mesmo a faixa mais agressiva do álbum, ao lado de ‘Chaos Reigns’. ‘Caustic Are The Ties That Bind’ é mais uma forte aposta nos seus elementos mais thrash, sempre sublinhando a sua admiração por METALLICA.

Mas estas referências individuais não surgem por acaso. Os TRIVIUM parecem ter composto, efectivamente, umas 8 faixas e transformado-as em 13. O termo filler não é novo, mas encaixa-se perfeitamente quando a banda parece repetir até à exaustão ideias da faixa anterior e acabando por não acrescentar nada à qualidade do álbum.

Colocando esse termo de parte, a banda tem crescido imenso na hora de compor. A maturidade está à vista e esta é uma boa compensação para quem se desiludiu com “Shogun”, editado em 2008. A capacidade da banda irá estar em prova no lançamento do sucessor de “In Waves”.

Deixo o resto à vossa guarda,
Nuno Bernardo

 Classificação: 70/100

Leave a Reply

Your email address will not be published.