Os LINDA MARTINI chegaram ao concerto agendado para as 22h com um ligeiro atraso de 5 minutos e não perderam tempo em pedir ao público as suas melhores facas. Com o som que lhes é já tão próprio, brindaram o público com uma das mais conhecidas músicas do álbum “Olhos de Mongol” de 2006. Entre gritos de apoio à banda e comuns “Faz-me um filho!” a que os músicos responderam com sorrisos, deu-se continuidade ao pequeno espectáculo agendado para a noite.

Intercalando músicas do mais recente álbum, “Casa Ocupada” (2010) e alguns dos êxitos mais antigos como “Efémera”, “Amor Combate” e “Amor é Não Haver Polícia”, foram espalhando a sua variação de post-rock por um recinto que deveria ter mais preenchimento, não fossem as faltas de apoios a este tipo de música em Portugal.

Sempre com bom humor e agradecendo a presença dos fãs,o enérgico baterista Hélio Morais e o seu pé esquerdo lesionado continuaram numa prestação que não teve defeitos a apontar, sempre acompanhado pela vibrante baixista Cláudia Guerreiro. Pedro Geraldes pôs ao dispor do público os riffs característicos da banda sublinhados pela voz de André Henriques, emocionada e correspondida pelo público fosse em letras sabidas de cor ou em palmas ao ritmo das guitarras.

Falando em pequenos defeitos, apenas podemos apontar que a voz de André Henriques estava um pouco abafada pelos outros  instrumentos, tal como a guitarra de Pedro Geraldes. Nada que tenha prejudicado a prestação da banda que, ao contrário do que foi entoado na letra de “Elevador”, teve o tempo a dizer-lhes quando parar, algo que fizeram a meias com o público entoando a música “Cem Metros Sereia”.

Após o concerto, a Ruido Sonoro dirigiu-se ao backstage para trocar algumas palavras com a banda. Hélio  Morais e André Henriques agradeceram a nossa presença e, no meio de autógrafos e fotografias com os restantes fãs (e claro, connosco) conseguiram arranjar-nos maneira de ter acesso ao alinhamento do concerto, já esgotado. Entre desejos de melhoras ao baterista e votos de boa sorte, despedimo-nos da banda esperando nova oportunidade de os voltar a ver actuar.

Texto por: Diogo Oliveira
Fotografias por: Nuno Bernardo

Setlist:
Dá-me a tua melhor faca
Nós os outros
Efémera
Mulher-a-Dias
Amor combate
Amigos Mortais
Elevador
Ameaça Menor
Cronófago
Juventude Sónica
Belarmino
Amor é não haver polícia
Cem metros sereia

[slideshow id=4 w=700 h=450]
 

Leave a Reply

Your email address will not be published.